domingo, outubro 1

Uma nova vergonha

A aprovação da construção de um muro que cobrirá 1/3 da fronteira com o México é uma autêntica marcha-atrás no ideal de um mundo livre e liberal. Se motivos de segurança relacionados com atentados suicidas poderia ser, com esforço, uma razão aceitável para erguer betão entre Israel e a Palestina, a imigração ilegal (problema mundial e com múltiplas e complexas causas) não o é.

É estranho como a História sempre se repete. Se todos nos damos bem nos tempos de vacas gordas, logo os nacionalismos e proteccionismos se erguem em tempos de crise e dificuldade. Talvez não fosse mal pensado pensar-se, na América, numa organização análoga à UE. Embora frágil, embora por muitos considerada como demasiado heterogénea ou demasiado apressada, tem sabido tornar-se uma motivação para os países de Leste (que podemos comparar ao México) promoverem, com a ajuda dos mais desenvolvidos, processos de reforma importantes e liberalizantes, de modo a desenvolver as suas instituições.

Talvez a solução não seja fechar mas sim abrir. Talvez a solução não seja afastar e sim aproximar, e envolver todos os interessados numa sociedade solidária mas também livre, em que cada pessoa poderá ter condições para procurar o seu ideal de felicidade, no seu país ou no país vizinho.

malta com binóculos

  • Os EUA já têm um Andropov na presidência.
    Só lhes faltava um muro da vergonha.

    By Blogger António Oliveira, at 3:09 da tarde  

  • Os EUA acabaram de morder uma mão que lhes dá alimento. Se Portugal fosse a resolver o problema da imigração (que se avista no horizonte) da mesma forma, já não havia praia para ninguém; só muros.

    By Blogger hcg, at 7:06 da tarde  

  • Se vão por os mexicanos todos de lá para fora gostava de saber quem é que vão desencantar para construir o muro...

    By Blogger Tigas, at 10:18 da tarde  

  • Artigo muito fixe =) bem dito!!!

    By Anonymous Rita C., at 1:35 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home