sexta-feira, setembro 15

Um Papa sem medo

O Papa Bento XVI não teve receio de dizer o que lhe ia na alma. Ao afirmar que o fundamentalismo religioso e a defesa da Fé pela violência são irracionais, Bento XVI pode ter marcado o início de um novo tempo.

Enquanto neste momento se afronta a posição religiosa dos radicais islâmicos com argumentação política, a entrada em campo de Bento XVI poderá juntar a esta linha o argumento religioso. Deste modo, um número muito maior de pessoas conseguirá ver o problema actual sobre um diferente prisma. Visto a argumentação política partir sempre muito enviesada, talvez a análise sob o ponto de vista da fé possa trazer novas orientações.

malta com binóculos

  • Também concordo com o Papa. Acho até que este argumento já devia ter vindo mais cedo. A grande verdade é que o radicalismo e a violência fazem parte da doutrina muçulmana extremista e não há como negar isso. Não acho que estes comentários visassem toda a religião muçulmana, mas sim os terroristas, ao contrário do que certos governos querem fazer parecer.

    By Blogger peixe, at 1:52 da tarde  

  • Mas não é o facto de que a violência esteja presente ou não no extremismo musulmano que esta em causa. O problema é que o Papa fez uma alusão clara ao Islão como religião com tendência para a violência. Não sei se isso sera bem aassim...

    By Blogger Hexagonista, at 1:23 da manhã  

  • ainda n tive tempo de contextualizar as palavras concretas do papa bento mas daquilo que já li sobre o assunto não me parece que a comparação a que Bento recorre seja mt feliz. pareceme que vai ser mais um argumento de motivação para novas situaçoes extremistas, veremos se os grupos radicais serao tao teoricos como se espera...

    By Anonymous Anónimo, at 1:47 da manhã  

  • O texto completo pode ser lido aqui:

    http://www.vatican.va/holy_father/benedict_xvi/speeches/2006/september/documents/hf_ben-xvi_spe_20060912_university-regensburg_en.html

    Ainda não li tudo mas parece-me que o hexagonista tem razão quanto ao contexto. Quanto ao resto não concordo muito. O Al-Corão faz referências claras à guerra como meio para a conversão de infiéis. E tal coisa foi levada à letra, dado que a maioria dos teritórios que hoje são considerados árabes foram conquistados pela força.

    By Blogger Tiago Alves, at 2:01 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home