terça-feira, julho 4

Próprio + Próprio = ?

Numa altura em que questões como a fertilização in vitro (que já cá anda há umas décadas) ainda levanta questões éticas, o que dizer desta notícia (é pago mas alguns afortunados podem ter acesso)?

Stem cells from a mouse embryo have been coaxed into producing both eggs and sperm in the same dish. The eggs and sperm are the most mature yet grown in the lab, and the advance brings researchers closer to their ultimate aim: producing human eggs and sperm from adult body cells so that infertile men and women can have their own children. Applying the technique to humans would be controversial, not least because it raises the possibility that men might be able to produce eggs, and women sperm. But researchers point out that any human application would be decades away, which would allow time for ethical debate over the technology


Existem tantos debates éticos relacionados com os desenvolvimentos científicos mais recentes, que me parece pouco provável que isto esteja no primeiro lugar da lista de prioridades da comunidade (científica ou não) nos próximos anos, pois ainda falta muito para que possa acontecer. Porém, não deixam de ser interessantes os constantes desafios que as descobertas científicas e as suas aplicações nos colocam.

Apesar das suas vantagens (é sempre bom saber mais sobre o nosso desenvolvimento devido às aplicações terapêuticas e à curiosidade), parece-me que isto é demais. Um mesmo indivíduo seria pai e mãe. Sinceramente, do pouco que sei, parece-me complicado assegurar que o embrião não tenha problemas e, para o evitar, seria necessário que este fosse submetido a testes, o que também é extremamente controverso, ou seja, problemas éticos trazem mais problemas éticos.

Eu sei que há muitos anos que fazemos o papel de Deus ou da Natureza na evolução (como preferirem), mas não será isto ir mais longe do que é aceitável?

malta com binóculos

  • Não sei. Mas afinal, o que é o "aceitável". Se Deus ou "seja-lá-quem-for" tornou os homens e mulheres capazes de fazer tudo isso.. Só se deve realmente tentar perceber o que se vai ganhar em tentar algo do género. E perceber bem a valia de tal conhecimento ou poder. Aí sim, depois de bem pesados, talvez se possa decidir em consciencia se vale a pena mexer com algo tão delicado.

    By Blogger Tiago Alves, at 11:55 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home