terça-feira, junho 27

Serial Killer

Portugal tem o seu terceiro caso de ‘serial killer’. Depois do Zé Borrego e do Estripador de Lisboa, haverá agora o caso de um homem, acima de toda a suspeita (...) autarca, benfiquista e bom chefe de família.
Vem da História este hábito de portugueses, por si próprios ou instigados pelo poder, se arrogarem o direito de definir os critérios do bem e do mal, dos bons e dos maus costumes, da sã moral e da depravação, de julgar os outros e de, julgando, aplicarem a sua lei pelas próprias mãos.
O Zé Borrego matava homossexuais e o Estripador de Lisboa assassinava prostitutas. A confirmarem-se as suspeitas da Polícia, o novo ‘serial killer’ português será, como os anteriores, um moralista, um “dono da moral e dos bons costumes”.

De acordo com a definição de João Paulo Guerra, no DE de hoje, e usando alguma liberdade estilística, existem por aí muitos serial killers. E todos nós somos o seu alvo.

malta com binóculos

Enviar um comentário

<< Home