quarta-feira, junho 21

Partidas dobradas

Parece que os indicadores de Maio sobre a execução orçamental apresentam alguns sinais de derrapagem nas despesas correntes. Nada que apoquente Teixeira dos Santos, pois as receitas estão a ter um comportamente melhor do que o esperado.

No fundo, gerir as contas do Estado é parecido com os exames de Contabilidade Financeira. Não importa muito o que metemos lá para o meio, o fundamental é no final termos o débito igual ao crédito ou, no caso das contas públicas, ter os custos não muito acima dos réditos. Para podermos apresentar tudo bonito, como se quer, ao professor. Ou, no caso de Teixeira dos Santos, ao comissário Almunia.

malta com binóculos

  • O que me espanta é a psique portuguesa andar consciencializada desde 2002 que Portugal está a "apertar o cinto", e afinal a despesa continua a aumentar e aumentar.

    Nunca vi ninguém emagrecer só por apertar o cinto, se calhar era boa ideia experimentar uma nova dieta.

    By Blogger Manuel Câmara, at 12:09 da tarde  

  • Já lá dizia o Tigas, "Não admira que as contas do Orçamento estejam sempre todas mal, nós baseamo-nos em coisas que já desde o princípio sabemos que estão erradas!"

    P.S.- Ouvi dizer que fazer desporto e subir escadas dá resultados fixes!

    By Blogger JP, at 10:07 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home