domingo, junho 18

Copianço e corrupção

Um amplo estudo da FEP, hoje notícia no DN, detectou uma "forte correlação" na "associação positiva entre os níveis de copianço de cada país e o índice de corrupção percebida". Esta é, a par da confirmação de outras hipóteses já testadas, a principal conclusão do working paper, presumível responsável pelo seu destaque na imprensa.

A página 34 do referido estudo possui, porém, uma frase que sublinha a existência de uma "non-linear significant relation between economics and business undergraduate cheating and countries’ CPI scores – countries that have both a very low (‘high perceived corruption’) and very high (‘highly transparent’) CPI score present relatively low levels of cheating in academia". Confuso?

Os autores fazem questão de notar que são os dados da Argentina e da Nigéria a produzir o desvio e avançam explicações individuais (na página 35, últimos parágrafos) para os resultados, apelidados de quite surprinsgly (página 16, última linha). Parcialidade?

Além disso, e como se não bastasse a desvalorização de certos dados para suportar as conclusões desejadas, as mesmas são retiradas de uma correlação com um R squared de 56%, o que é manifestamente baixo (gráfico da esquerda, sobre a "propensão a copiar"), não oferecendo grande confiança.
Numa tentativa de, quiçá, salvar a "honra do convento", foram acrescentados os dados sobre a "observação de colegas a copiar", que possuem uma correlação maior (71%). O problema é que aqui a tal "associação positiva" entre o copianço e a corrupção é muito (mas muito) menor, com os valores a serem tendencialmente elevados em quase todos os países (gráfico da direita).

Posto tudo isto, nota baixa para o paper, assim como para os jornalistas que lhe dão notoriedade sem sequer o lerem.

malta com binóculos

  • Alguma coisa contra a FEP? :D

    Não acho particularmente pecaminoso considerar certos dados como outliers se a explicação for adequada. E um R2 de 56% é bastante satisfatório.

    Não vejo grande problema com o estudo. :S

    By Blogger Manuel Câmara, at 9:38 da tarde  

  • Afinal Tratamento de Dados serve para alguma coisa. Boa notícia.

    By Blogger Gonçalo Martins, at 10:11 da tarde  

  • Manuel,

    provavelmente estarás mais habilitado do que eu para opinar mas repara bem nas várias "vicissitudes" da coisa. E não é nada pessoal contra a FEP, pelo contrário!

    p.s. ah e as explicações sobre a Nigéria e a Argentina não são nada convincentes..

    By Blogger Tiago Alves, at 10:47 da tarde  

  • Discordo completamente das conclusões do estudo mas não pelas razões que apontas. Parece-me que as autoras cometem o velho erro de fazer passarpor relação causal algo que não passa duma correlação estatística. Do género de dizer que as vendas de gelados aumentam porque aumenta a venda de bikinis.
    Quando às tuas críticas duas notas. Um Rsquare de 56% é um óptimo valor tendo em conta que o modelo apenas terá uma variável dependente e é perfeitamente normal excluír, neste tipo de estudos, os outliers.

    By Blogger CGP, at 12:35 da tarde  

  • Está decidido. Não analiso mais estudos sem antes ler os apontamentos de econometria dos colegas telescópios. Já vi que tratamento de dados não chega..

    By Blogger Tiago Alves, at 12:49 da tarde  

  • outra vez econometria??alguem m salve...o melhor mesmo é abster m de comentar o estudo, pq s for a contar com os meus brilhantes conhecimentos da cadeira não vou mt longe...!=)

    By Blogger a_mais_linda, at 7:16 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home