terça-feira, maio 2

Esta coisa da igualdade..

Conversa ao jantar:

F.I. - É uma vergonha esses senhores [uns quantos funcionários públicos] reformarem-se e receberem mais de mil contos de reforma enquanto há aí pessoas a receber só 100 contos ou assim. É uma diferença enorme!
T.A. - Concordo em absoluto! É isso e és tu, que recebes mais de 90% da cotação nos testes e os pobres coitados que fizeram o mesmo teste que tu, à mesma hora e com a mesma professora e só tiveram 30%! Não achas que é uma diferença assustadora?
F.I. - Oh, mas esses não estudaram nada! Não mereciam ter mais!

Pois..

(F.I. é a sigla de familiar identificado. Não que custe muito perceber :) )

malta com binóculos

  • mas não concordas com um tecto máximo? digamos 3000 ou 4000 euros? e um mínimo, 500 euros?

    não é que resolvesse todos os problemas, claro.

    By Blogger Elise, at 3:28 da tarde  

  • Não, elise. Isso seria partir do princípio de que os valores remuneratórios justos cabem nessas balizas, o que francamente não concordo.

    Depois ainda há os problemas dos descontos. Se alguém andou a descontar sobre um salário elevado não terá direito a uma reforma elevada? Já alguém propôs que então se colocassem limites aos descontos, o que justicaria o tecto na reforma. Mas isso levava a uma falência imediata do sistema, com a perda dos descontos dos "ricaços".

    By Blogger Tiago Alves, at 5:21 da tarde  

  • Muito bem, concordo plenamente.
    Às vezes deixamo-nos levar pela corrente de pensamento vigente sem nos apercebermos exactamente o que está em causa. Uma pessoa tem tendência a ficar chocada com reformas elevadas sem pensar e analisar o porquê da reforma elevada.
    Embora também compreenda a atitude das pessoas que achem que o Estado não pode oferecer pensões tão elevadas quando há tanta gente na miséria (porque é visto como a única entidade capaz de resolver e remediar as disparidades sociais) : para isso, há a solução de transferir as pensões acima de um certo limite para os privados.
    Assim, haveria justiça e também menos indignação social.

    By Blogger Pedro, at 9:13 da tarde  

  • Convenhamos... nem todos merecem um salário tão elevado!!!

    By Blogger JP, at 9:18 da tarde  

  • Concordo com essas reformas! Foi gente que descontou imenso - se bem que para o mesmo patrão que lhes pagou o ordenado! E que não precisou de fazer médias de 8 ou 10 ou quinze anos para obter a reforma. O salário do ultimo ano bastou - para fazer contas, o melhor é fazer as dos outros... E aquela promoçãozita a um lugarzito de chefia no ultimo ano, é mais que justo para justificar uma reformazita melhor, ao fim de 36 penosos anos, enquanto os outros andam 40 na vida airada. Mais a mais a quem toda a vida teve que lutar por ser produtivo e andar na linha, não fosse o estado fechar por insolvência e ir tudo pró desemprego. Só ralações...
    E agora, também uns premiozitos de gestão, mesmo que a coisa dê prejuizo. O que conta é a intenção. E afinal, para quê chatices? Aumentam-se uns impostos e já está. O Zé está cá para isso.
    Pela minha parte faço o que posso. Deixei de fumar para ver se o estado evita gastar dinheiro com a minha saúde. Estranho: li algures que estão chateados com a quebra de receitas nos impostos sobre o tabaco. Deve ser brincadeira de mau gosto. Só pode.

    By Blogger ahmaro, at 10:21 da tarde  

  • Se cada um receber de reforma o mesmo que descontou, mais vale não descontar e guardá-lo...

    By Anonymous aside, at 8:36 da manhã  

  • "Deixei de fumar para ver se o estado evita gastar dinheiro com a minha saúde."

    O dinheiro que o estado gastaria com a tua saúde seria contrabalançado com o dinheiro que pouparia por morreres mais cedo. Portanto podes continuar a fumar de consciência tranquila.

    By Blogger Manuel Câmara, at 10:15 da manhã  

  • Boa tacada.

    By Blogger Pedro Santos Cardoso, at 5:14 da tarde  

  • nao te eskeças k nem todos têm oportunidades de vir a ganhar um salário tão alto.. talvez porque não tiveram oportunidade de estudar e investir no futuro... daí os 30% nos testes... parabéns pelo blog têm posts mt interessantes

    By Blogger peixe, at 12:07 da tarde  

  • Concordo plenamente, peixe. É um campo onde o Estado deve intervir, tentando criar o máximo de igualdade de oportunidades. No entanto, não punir quem nao teve opotunidades não significa punir quem as teve e aproveitou.
    Obrigado pelo comment e pelas considerações ;)

    By Blogger Tiago Alves, at 10:21 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home