domingo, abril 23

Serviço público

A 2: tem transmitido de segunda a sexta vários documentários sobre o verão quente de 1975. Intitulados retratos do verão quente, são relatos bastante interessantes para todos os interessados em conhecer e perceber melhor esse periodo conturbado da nossa história. Daí que a sua passagem às 00h50 seja um autêntico absurdo. Só há dois dias, por ser sexta, tive oportunidade de ver o programa.

Na sexta, entre outros episódios, mostraram-se imagens do cerco à Constituinte por operários da construção civil, no dia 12 de Novembro de 1975. Apoiados por pessoas armadas, quais milícias, e com a completa passividade da polícia militar. Chegou a haver partilha de mantimentos entre as autoridades e os manifestantes! Além da tentativa de alimentar os deputados do PCP (e só estes)!

Os deputados, sitiados, só saíram no dia seguinte, por uma pequena ala aberta pelos manifestantes. Agitados, brandiam ferramentas pesadas e ameaçavam os deputados. Excepto, claro está, os do PCP. Que saíram, por entre aplausos, sorridentes, de punho fechado, a "saudar sabe-se lá quem", como escreveu Medeiros Ferreira. Ainda hoje não percebo o porquê da não ilegalização do Partido Comunista naquele preciso momento.

malta com binóculos

Enviar um comentário

<< Home