sábado, abril 22

Saldanha Residence

Ontem dei um salto até ao Saldanha Residence para falar com os mentores do MLS. Não foi tempo perdido. Conheci pessoalmente o Miguel Duarte e, com ele e com outro senhor, professor de Direito, mantive uma conversa profícua. Trouxe ainda umas brochuras de apresentação do movimento (tenho aqui uma para ti, Gonçalo).

Discutiu-se o financiamento do ensino, da saúde, o voto, o trânsito em Lisboa, as funções do Estado e por aí fora. Fiquei ainda a saber que o social no nome não pretende amenizar o "demoníaco" liberal. Serve, segundo o Miguel, para reforçar a tónica liberal não só na economia mas também nas liberdades individuais e sociais. Confuso, mas acho que se percebe a ideia. Na minha opinião (e na do Miguel, segundo me pareceu com a continuação da conversa), o social tem boa intenção mas acaba por estragar o sentido.

Em geral, a ideia que me ficou de todo o encontro foi a de que o movimento ainda tem um longo caminho a percorrer. O que não me deixou de surpreender, dada a dinâmica que o site e o blog possuem, os encontros já realizados, as participações internacionais e ainda, pelo que me deu a parecer, os apoios existentes (financeiros, logísticos e de simpatia). Embora compreendendo a posição confortável da possibilidade de criar um novo partido (que poderia conseguir, seguindo a estratégia Bloco, aspirar a alguma coisa), penso que gente desta com estas ideias faria mais dentro de estruturas já montadas. Influenciando-as; melhorando-as.

P.S. - Não sei se foi por me ter dado a conhecer pessoalmente e ter causado alguma desilusão, mas o que é certo é que O Telescópio foi retirado da lista de links do blog Liberal-Social.

malta com binóculos

  • Eu não conheço muito bem o MLS, mas pelo que li neste blog não é um projecto que me entusiasme muito. Primeiro, porque tenho um grande atrito com a conjugação da palavra liberal e social, sabendo como liberalismo e socialismo estão em flancos opostos. Mas faço um esforço para compreender aquilo que hoje se denomina como liberalismo social.

    Porém, das causas que defendem parece-me dificil separar aquelas que defendem pela matriz liberal ou pela matriz cultural do partido. Anexar as causas que o Gonçalo enuncia em baixo, a um partido "liberal social" não é um bom prenúncio.

    Este movimento aposta em temas fracturantes da sociedade, para marcar posição e mostrar coesão, tentando assim captar a atenção de várias áreas políticas. Eu não estou a condenar. Apenas creio que um partido liberal deveria priveligiar em primeiro lugar a liberdade de escolha de cada cidadão, em detrimento de um conjunto de regras estipulado num partido.

    By Blogger Bruno Gonçalves, at 4:08 da tarde  

  • Só retirei o link por uma razão. Estava na secção "a nossa bancada", ou seja, para blogues de pessoas que consideramos que nos apoiam (porque algures no passado mostraram situar-se na nosssa área política, são nossos membros, ou declararam expressamente apoiar-nos).

    Como és do PSD e não te conseguimos convencer a aderir ao MLS, já não faz sentido estar nessa secção. ;) Vou colocar na secção "os outros".

    Quanto ao caminho a percorrer, que ninguém tenha quaisquer ilusões. Tal é completamente verdade. Um longo e difícil caminho nos aguarda. Quem venha que tenha consciência disso.

    Quanto ao que se está a dizer no comentário anterior. Liberalismo Social é exactamente isso. Veja-se, por exemplo, o D66 na Holanda.

    Não compreendi contudo totalmente o último parágrafo, mas vou tentar responder. Na nossa opinião, nós defendemos determinadas causas porque as consideramos um excesso de envolvimento do Estado na vida privada de cada cidadão. É uma questão de princípio. É tão errado o Estado envolver-se em demasia na economia, como o é (ou ainda pior), envolver-se em assuntos que apenas dizem respeito ao foro íntimo de cada um.

    Como expliquei ontem ao Tiago, defendermos a regulamentação da prostituição, por exemplo, não quer dizer que sejamos a favor da prostituição, ou defendermos a legalização das drogas leves, quer dizer que consideramos estas ou outras quaisquer saudáveis. Apenas consideramos que a forma de resolver estes e outros problemas não é via o proibicionismo, o qual, como liberais, nos repugna.

    By Blogger Miguel Duarte, at 7:12 da tarde  

  • Muito bem. Parece-me adequado. Tal como também te disse ontem, Miguel, penso que seria melhor recuar até às verdadeiras bases liberais e reforçar a tónica na individualidade, livre-arbitrio e na responsabilidade. Penso que a discussão "filosofica", como ontem a apelidei, seria um modo mais profícuo de lançar a discussão liberal na sociedade, por oposição à estratégia choque, que assusta, que me disseste ser propositada.

    By Blogger Tiago Alves, at 8:10 da tarde  

  • Como alguém comentou no nosso site, não se pode agradar a gregos e troianos. De qualquer maneira, o liberalismo, como nós o vemos, não é para todos. Quem se assusta com estas coisas, não tem lugar no MLS (e dificilmente noutro partido liberal europeu que faça juz a esse nome).

    Nós podemos parecer muito radicais em Portugal, mas na maior parte dos outros países europeus "ocidentais", o que dizemos não seria nada de mais.

    Como alguém já me disse, nós estamos a "anos de luz", do Portugal actual. Mas alguém tem que começar a mudar mentalidades.

    PSD nem pensar, porque, tendo liberais no seu interior é certo, o PSD é hoje um partido conservador moderado nas políticas que defende.

    By Blogger Miguel Duarte, at 10:07 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home