sexta-feira, abril 28

A História nunca falha

Timor, símbolo da auto-determinação dos povos, baluarte da liberdade da gente da terra e exemplo de descolonização tardia, controlada e com futuro, está a começar a descambar. Quando os militares começam a ficar insatisfeitos está dado o primeiro passo para o golpe militar ou para o princípio de guerra civil.

É triste e até pode ser desolador, mas é verdade. Sozinhos, a maioria dos povos não ocidentais não consegue, sem ajuda ou intervenção internacional, descobrir o caminho democrático, ao não conseguir fortalecer e credibilizar as instituições. Aqui apenas fica mais um exemplo.

malta com binóculos

  • quando os militares querem mandar nos civis...

    By Blogger Elise, at 3:24 da tarde  

  • Talvez algum pessimismo a mais com este post, não? :D

    Também não me parece que seja uma questão cultural do ocidente que nos torna mais receptivos ao regime democrático. Portugal só à segunda conseguiu uma democracia estável.

    Terá mais a ver com o desenvolvimento, é dificil implementar uma democracia de raíz num país pouco desenvolvido e um povo relativamente pouco instruído.

    By Blogger Manuel Câmara, at 1:15 da manhã  

  • Talvez, caro msc, ou talvez não. Afinal, e como refere o titulo do post, a minha pequena teoria encontra bastamntes bases empíricas para a sua sustentação não é?

    Já agora, também não acho que seja algo cultural, no significado que penso que lhe atribui. Mas se entedermos cultura como um processo de aprendizagem, com componente histórica e etc, então aí talvez já encontremos barreiras.

    O passado destes paises passava por ditadores duros e autoritários, fortemente sustentados pelos militares. Quando essa forma de governo acaba (e bem!), tem de ser substituida por instituições fortes e controladas (o estado de Direito), para que a ordem seja mantida. Aqui, penso, está o principal problema.

    Obrigado pelo comentário :)

    By Blogger Tiago Alves, at 9:42 da manhã  

  • Parece-me um pouco paternalista remeter a falta de sucesso democrático ao facto de o povo não ser "ocidental".
    Portugal depois do 25 de Abril esteve perto de entrar numa nova ditadura, e também houve alguma violência. Além disso, tinha fortes incentivos para se "comportar", de forma a entrar na UE (antes CEE) e receber os tão desejados subsídios.
    Por isso, talvez o mais surpreendente disto tudo é que não tenha já havido violência antes em Timor.

    By Anonymous Pedro, at 5:31 da tarde  

  • "Parece-me um pouco paternalista remeter a falta de sucesso democrático ao facto de o povo não ser "ocidental"."

    Não estabeleci nenhuma relação causal desse género. Dizer que "algo não-A é B" não é o mesmo que dizer "se é B então é não-A"

    O caso de Portugal até ajuda a fundamentar o que eu disse no comentário. A passagem de um poder central e forte, ditatorial (seja ele colonial ou não) para uma democracia, sem intervenção internacional, é muito dificil. Portugal, nesses idos tempos, tambem teve intervenção internacional. Ou pelo menos, a ameaça credível da mesma, com os navios da NATO ao largo do Tejo.

    By Blogger Tiago Alves, at 8:55 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home