terça-feira, abril 4

Bolonha (II)

Escrevi há uns dias que ainda não tinha a certeza se o processo de Bolonha iria ser bom ou mau. Hoje, já depois da sessão de esclarecimento, estou convencido de que é bom. No entanto, e marcando posição como um dos apanhados no meio do tornado, esperava um pouco mais de capacidade de resposta e consideração por parte da instituição que defendi tão acerrimamente no referido post.

Quando, depois de feitas as apresentações dos ciclos, se deixa claro que se vai ficar "todo o tempo necessário para esclarecer as dúvidas" e no final se corta a palavra a uma interveniente; quando à maioria das perguntas se responde com um "ainda não está definido"; e quando a uma pergunta sobre a relação entre as cadeiras Erasmus e as equivalências no mestrado se responde que o aluno está a ser "ganancioso" por querer saber de coisas a tão longo prazo, acho que não há entusiasmo (e eu tinha muito) que resista. Afinal de contas, é o nosso percurso académico que está em jogo.

Se continuo a acreditar que a FE-UNL está na vanguarda e a tentar fazer tudo o que pode para minimizar os prejuízos para os seus alunos, não posso também deixar de considerar que os oradores de hoje deixaram muito a desejar. Sem capacidade para enfrentar a (normal) enxorrada de dúvidas que lhes foram colocadas e com um nível de arrogância incompreensivelmente elevado, penso que terão sido mais as caras de desilusão do que de regozijo a abandonar o A-14.

malta com binóculos

  • fomos tratados com arrogância e paternalismo, atitude q não apreciei mesmo nada, esperava mais consideração...e chamar ganancioso, esse foi mesmo "o" momento da tarde...eu faço parte dos revoltados sem causa "abaixo bolonha!!!", por mais que digam q vai ser bom não consigo evitar

    nada a ver...belo momento a descoberta da Mais!!

    By Blogger a_mais_linda, at 11:03 da tarde  

  • Bem devo dizer que na sessão de esclarecimento de 2ªF não notei arrogância e até achei que o painél estava sensível às nossas dúvidas e problemas ... Quanto ao tratado em si... afinal não é tão mau como diziam.

    By Anonymous Anónimo, at 12:43 da manhã  

  • Acho que tudo o que é feito em cima do joelho só para agradar superiores está destinado ao fracasso. Concordo com a ideia de nos aproximar-mos da Europa mas se não garantem equivalências e só nos deixam escolher 3 disciplinas deixo de pensar no Erasmus como alternativa e passo a considerar perda de tempo.
    Ainda por cima não contam com todos os alunos da licenciatura para o mestrado pelo que só posso chegar a uma conclusão: só te aproximas da Europa se fizeres o mestrado lá fora, o que implica mais custos... Mas como o director disse sempre temos o crédito e isso os tugas conhecem bem.
    Quanto à forma como fomos tratados pelos responsáveis da FEUNL, nem vale a pena comentar.

    By Blogger hcg, at 3:46 da tarde  

  • "Qual a diferença entre um Mestrado e um MBA?"
    "16 mil euros"

    Uma pérola que fica desta sessão.

    By Blogger Fixe, at 2:29 da manhã  

  • Oh jovens, não percebo o porquê de tantas críticas...
    Temos um bajulador, um rato de laboratório, um careca vozeirão e um trisómico semi-mudo. Estavam à espera do quê? De sair de lá esclarecidos?? De sair de lá com a convicção de serem protegidos?? Da busca pelo rigor e pela excelência??

    A partir do momento em que o director da nossa bem-amada faculdade, que eu tanto prezo, e que não quero que outros queimem, me manda pedir um crédito para pagar o mestrado só consigo pensar numa coisa: "Bege. Acho que vou pintar o tecto de bege!"

    By Blogger Tigas, at 10:28 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home