sábado, março 18

Directamente

Os delegados do PSD aprovaram as directas num congresso considerado morno pelos jornalistas "habituados àquelas coisas". O Congresso não era electivo (como alguém teve a inteligência de relembrar) e o tema (único), que se antevia fracturante, afinal não o foi, visto até ter juntado o líder e o seu principal opositor no mesmo lado da barricada. Só mesmo os jornalistas mais optimistas poderiam esperar algum sangue.

Um outro momento fica na história deste Congresso. Atacando o argumento de que as directas matam o Congresso do PSD, um dos acontecimentos mais marcantes e lendários do partido e da própria política nacional, Marques Mendes disse que "o PSD não é um produtor de espectáculos televisivos". Marcou pontos. Muitos. Interna mas principalmente externamente. Há que saber definir o core dos movimentos partidários. Até porque o Congresso continuará a existir e a ser um momento marcante, de debate e de encontro da família laranja. Claro que vai ser diferente. Provavelmente começarão a rarear os grandes momentos que ficam nas páginas dos livros de história e certamente os jornalistas deixarão de achar que o Congresso foi morno, pois morno passará a ser o normal nos futuros Congressos, onde o líder já chega eleito. Ganha-se, porém, credibilidade. Foi isso que Marques Mendes quis mostrar.

malta com binóculos

  • Gostaria apenas de referir a pequena coincidência que foi a realização simultânea do Congresso do PSD e da Assembleia Geral do Sporting, no pavilhão Atlântico à mesma hora.

    By Blogger smm, at 10:28 da tarde  

  • Sim, não deixa de ser irónico. Mais ainda quando a sala maior foi palco da Assembleia do Sporting e a mais pequena (a Tejo) para o Congresso. Daqui a mes e meio, porém, certamente a sala será maior.

    By Blogger Tiago Alves, at 3:28 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home