terça-feira, março 7

Desilusão

O contra-ataque da administração da PT foi uma vergonha, uma autêntica desilusão para quem (como eu) esperava uma bela guerra de números entre os dois gigantes. Zero de projectos concretos e muitas ideias copiadas das intenções da SONAE (se pretendiam vender uma das redes porque é que só o disseram agora?).

O único trunfo é.. dar dinheiro aos accionistas.

A grande incoerência desta promessa é, mais do que a evidenciada pelo João Miranda, a de que Horta e Costa tem afirmado até à exaustão de que os 9.50 são baixos para o valor da PT e promete agora mundos e fundos aos accionistas para estes não sucumbirem à OPA. Se o seu primeiro argumento fosse válido bastar-lhe-ia falar dos projectos em curso, apresentar resultados ou previsões de cash flows que suportassem o dito. Mas não. Horta e Costa teve de anunciar outras medidas. Nem sequer medidas para aumentar o valor da empresa mas para aumentar o valor a distribuir aos accionistas o que, como diz Paulo de Azevedo, é um artifício. Todo o valor extraordinário distribuído terá de ser deduzido de alguma forma. O recurso à dívida, spin off da PT Multimédia e o share buyback (compra de acções próprias) foram os apontados como utilizáveis pelo ainda CEO da empresa que ainda teve tempo para cometer uma pequena gaffe, ao falar da previsibilidade de chumbo da concentração no mercado específico das comunicações móveis (Optimus + TMN) quando a AdC já anunciou que vai analisar o dossiêr como um todo. Se Horta e Costa vencer, as acções vão-se ressentir de alguma forma. O mercado não costuma pactuar com estes truques e, se isto é o melhor que Horta e Costa tem para oferecer, Belmiro bem pode esfregar as mãos.

malta com binóculos

  • É por posts destes que eu cá venho.

    Que barco apanhas amanhã?



    PS: diz lá q n tinhas saudades :D

    By Blogger Tiago, at 10:29 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home