quarta-feira, março 8

Ai o proteccionismo

Joana Amaral Dias repara e sublinha que é a um jornal espanhol que o Presidente eleito dá a sua primeira entrevista. Para além da necessidade de renovação da projecção internacional de Cavaco, sublinhada por Paulo Gorjão, o Presidente eleito talvez também tenha entendido que um jornal nacional não seria o melhor meio para fazer passar, sem deturpações, a mensagem que pretendia. Como exemplo:

Cavaco considera morta Constituição Europeia, título do DN

No creo que en este momento sea posible resucitar el texto tal como está, pero es un buen punto de partida para una nueva reflexión que es necesario realizar para proceder a alteraciones de los tratados, discurso directo, via ABC

Deu para perceber a diferença?

malta com binóculos

  • "No creo que en este momento sea posible resucitar el texto tal como está"

    Ressuscitar:
    chamar de novo à vida

    "Cavaco considera morta Constituição Europeia"

    Morto:
    que deixou de viver;

    Portanto não percebo onde queres chegar... não será antes teu, o proteccionismo...

    By Anonymous Pedro Cavaco, at 12:23 da manhã  

  • Acho que não se deve ler a entrevista com uma prspectiva tão "terra-a-terra". O ressuscitar é uma metáfora para trazer de volta à discussão, além de que não se podem ressuscitar coisas inanimadas (como o é um conjunto de artigos constitucionais :o) ). O facto de serem considerados "um bom ponto de partida" (era o que estava a bold) mostra claramente que Cavaco não considera o texto digno de um ecoponto! E esta é a ideia que ficamos quando se lê o titulo "Cavaco considera morta a Constituição"

    By Blogger Tiago Alves, at 7:35 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home