segunda-feira, outubro 31

O que eu não percebo

Eu não percebo porque é que muita gente, tanto nos jornais como por esta blogoesfera fora, se arma em carapau de corrida e tenta vender caro o seu apoio ao prof. Cavaco Silva. São vários os casos e manifestam-se por toda a comunidade de centro-direita e de direita, desde os mais obscuros blogs a alguns supra-sumos da nossa praça.

É óbvio que os cronistas a quem me refiro podem ter mil e uma razões para não gostar do prof. Cavaco. Costumam até ter uma linha mais lúcida de argumentação do que outros mas, mesmo assim, e tendo em conta o que se retira dos seus textos de opinião, não há volta a dar: o prof. Cavaco tem de ser o candidato deles. E não só, ao contrário do que fazem passar, por exclusão de partes.

É engraçado verificar que a blogoesfera e os jornalistas conotados com a esquerda se arregimentam em torno dos seus candidatos e se juntam, claro está, nas críticas ao candidato de centro direita. Pelo contrário, a franja destra tem vindo a mostrar toda o seu snobismo e a sua arrogância, confiando talvez que a vitória está no papo ou simplesmente tomando, porque é mais fácil, o partido daqueles que apenas sabem atacar quem está in the charge, não só de forma literal (como é o caso) mas em termos de credibilidade e de tendência de voto. Como parece ser moda apoiar o ex-primeiro ministro o pessoal do block tem de ser original e por isso aproveita de tudo para poder atacar o prof. Cavaco. Como título de exemplo, aquela história do bolo-rei. Eu era novinho à data, não me lembro do episódio. Mas pelo que me contam e pelo que vejo (refiro-me ao nome dos comentários), só posso deixar-me entristecer pela fraca qualidade dos argumentos e pelo uso fácil de outros meios.

Eu não embarco nessas coisas. Se alguém ainda não notou, eu faço questão de dizer: sim, eu apoio o professor! Não custa nada, não somos marginalizados e, se anexarmos a esta declaração uma pequena dose de argumentação sólida, tudo fica perfeito.

O País precisa de confiança e Cavaco Silva é uma figura que, não por quaisquer outras razões que não o trabalho realizado em dez anos de governação, continua a ser acarinhada e admirada pelos portugueses, de esquerda e de direita. Foi com Cavaco Silva que este País inflectiu e foi com ele que se deram os decisivos passos que possibilitaram a Portugal aproximar-se das boas práticas dos nossos vizinhos. Foi com o professor Cavaco que se liberalizou uma boa parte do mercado, que se construíram as infra estruturas indispensáveis a qualquer democracia desenvolvida.

Foi o professor Cavaco que fez de Portugal uma economia credível no exterior, conseguindo valorizar o escudo e controlar a inflacção; foi no seu mandato que se realizaram os maiores investimentos de sempre no nosso país; foi Cavaco que colocou a Juventude portuguesa em lugar de destaque, ouvindo a sua voz e tomando decisões positivas para os jovens; foi Cavaco que colocou Portugal no pelotão da frente da moeda única; foi Cavaco que criou, até aos últimos e desgastantes momentos de 94/95, uma imagem de dinâmica de Governo que até hoje mais ninguém conseguiu copiar. Por tudo isto, Cavaco será o próximo Presidente. As expectativas são elevadas mas não acredito que saiam goradas. Afinal, e como já disse, Cavaco "não vai pelas mordomias", vai "para trabalhar".

Publicado n'O Eleito
Tiago Alves

tricks and treats

Tiago Alves

MTV Awards

Os European Music Awards acontecem em Lisboa, já na próxima quinta feira. O elenco de artistas a actuar é bastante atractivo e os bilhetes, ao que consta, já voaram todos. Envolvendo 29 categorias, 16 delas regionais, o EMA vai contar com vários apresentadores, estando a representação portuguesa a cargo de Luís Figo (é de realçar, num pequeno parêntesis, que tanto Nelly Furtado como Cristiano Ronaldo recusaram o convite; mais uma vez Figo dá uma liçãozita de humilade).

Na categoria de Best Portuguese temos, pode-se dizer, os do costume (Boss AC, The Gift e Da Weasel), mais os Blasted Mechanism e os Humanos. Já votei nos Blasted Mechanism. Não porque adore o estilo, mas porque do mal o menos; e esta banda tem mesmo alguns méritos artísticos, mais que não seja pela sua nuora (força de vontade, no seu vocabulário karkoviano).

Nas restantes categorias não me alongo mas torço pelos Green Day em tudo o que se candidatam; A Alicia Keys também já teve o meu voto, o Moby é o que mais tem tocado nestes últimos tempos no meu Foobar e saúda-se o regresso dos alternative System of a Down. Tudo se conjuga para uma boa noite. Mais que não seja já serviu para adiar o meu teste de Micro...

Tiago Alves

momento

"To fail is not an option"
Tiago Alves

domingo, outubro 30

ainda a propósito da gripe das aves

Ia eu no outro dia a passar pelo Terreiro do Paço; chovia a cântaros e os pombos, todos contentes, sossegados a apanhar uma molha.
Depois não querem constipar-se!!
Tiago Alves

Piadas de café

- Ah, agora com isto da gripe das aves nem sei que coma! Empadas de galinha, folhados de frango...nem pensar!
- Ora, come um croissant de ovo..
Tiago Alves

Safa!

Quem é que andou a pedir chuva?
Tiago Alves

sábado, outubro 29

Ninguém agarra..

o João Miguel Tavares, isto a propósito da greve dos juízes

"Professores em greve transtorna. Camionistas em greve chateia. Médicos em greve incomoda. Juízes em greve? Aborrece, com esforço, um ministro, e recebe a mais olímpica indiferença por parte do resto da população. A justiça fazer greve em Portugal é uma redundância e, por isso, uma decisão pouco inteligente.
Se fossem dois anos, talvez algum cidadão mais arguto, que tivesse um processo a correr nos tribunais, pudesse concluir após longa reflexão "isto está a atrasar um bocadinho". Agora, dois dias, ou até dois meses, são uma pinga de água no imenso oceano de atrasos, incompetências e má organização da nossa máquina judicial.

(...) lancei-me às 137 páginas do relatório sobre o sistema judicial europeu elaborado pela Comissão Europeia para a Eficiência da Justiça (encontra-se em www.coe.int/cepej), que traça comparações entre dezenas de países. Aí descobri, por exemplo, estes dois factos deliciosos 1) Portugal tem 14,9 juízes por 100 mil habitantes, mais do triplo da Inglaterra (esse país subdesenvolvido). 2) Entre 33 países europeus analisados, Portugal é, de longe, aquele que, tendo em conta o salário médio, melhor paga aos seus juízes. Isto são números oficiais.

O que nós lhe pagamos é muito, mas muito mais do que aquilo que ela nos está a oferecer."

no DN (sublinhados meus)

Tiago Alves

Informação ao Público

Por influência do amigo Cavaco (o Pedro, não o Aníbal), um dos idealistas do Movimento 560, vou passar a escrever sempre blogue em vez de blog.
Convido todos os colegas a fazerem o mesmo.
Tiago Alves

sexta-feira, outubro 28

Sondagem do DN - contraditório

Eu acho que é de uma demagogia (é a única palavra que me ocorre) extrema insistir em considerar o prof. Cavaco, assim como o PSD, de esquerda. E passo a explicar.

Aceito que o termo "social-democracia" seja considerado esquerdista em todo o lado menos em Portugal. O SPD, que se pode considerar o partido mais irmão do PSD nacional enquadra-se, provavelmente, numa área que devia ser defendida por um Partido Socialista. Ora cá co-existem, em teoria, dois partidos em representação da mesma área ideológica, certo? Não!

O Partido Socialista não defende o socialismo. Socialismo é planeamento central, é uma sociedade estatizada, é ausência de propriedade privada, é a redistribuição como um fim, é o fim do mercado, é, em última análise, o controlo do Indivíduo pelo Grupo (personificado pelo Estado, enquanto garante do que é melhor para o povo, qual Taylor paternalista). Isto é o epíteto da Esquerda. O PS não defende este caminho desde que, diz-se, Soares meteu o Socialismo na gaveta.

O Partido Social Democrata não defende, pelo menos a 100%, a Social-Democracia. Confrontado com as posições originais de Soares, Sá Carneiro fundou uma corrente ideológica única, fruto das contigências especiais de Portugal à época. Colocou-se à Direita do PS sem se colar à Direita da Quadratura (tal coisa seria impossível naqueles tempos, como se compreende). À medida que o PS se afastava dos PC's, o PSD colocava-se na sua posição de agora e Sá Carneiro, secundado pelos seus pares (onde se contava, já com alguma influência, Cavaco Silva), compreendeu que o caminho era o da Direita (enquanto garante da liberdade individual e da iniciativa privada) socialmente responsável (porque a vida dos portugueses continuava uma lástima, tal tinha sido a riqueza destruída pelo PREC).

Dos anos de Governo do prof. Cavaco Silva saúdam-se, sobretudo, o rigor (nas Finanças, no relacionamento com a sociedade); e a liberalização (da televisão, dos jornais, da banca). Tudo epítetos de Direita. Nem o PSD nem Cavaco são de esquerda. No máximo, o seu espaço pode-se confundir com o do PS, que de socialista (e quiçá, de esquerdista) não tem nada.

Publicado n'O Eleito
Tiago Alves

E por falar em blogs femininos...

Esta posta da Isabel (é Isabel não é?) está de mais. Um retrato de uma personagem ímpar: nós.

Ser português é :

Levar o arroz de frango para a praia.
Guardar aquelas cuecas velhas para polir o carro.
Criticar o governo local mas jamais se queixar oficialmente.

Ladie's night à quinta.
Ter tido a última grande vitória militar em "1385".
Enfeitar as estantes da sala com as prendas do casamento.

Guiar como um maníaco e ninguém se importar com isso.
Viajar pó quinto do caralho e encontrar outro Tuga no restaurante.
Ter folclore estudantil anual por causa das propinas.

Ninguém saber nada do nosso país excepto os Brasileiros e os Espanhóis que gozam dele.
Levar a vida mais relaxada da Europa, mesmo sendo os últimos de todas as listas.
Ter sempre marisco, tremoços e álcool anualmente a preços de saldo.

Receber visitas e ir logo mostrar a casa toda.
Dar os máximos durante 10 km para avisar os outros condutores da polícia adiante.
Ter o resto do mundo a pensar que Portugal é uma província espanhola.

Exigir que lhe chamem "Doutor" mesmo sendo um Zé Ninguém.
Exigir que o tratem por Sr. Engenheiro mas não tratar ninguém com outras profissões por Sr. Pintor, Sr. Economista, Sr. Contabilista, Sra. Secretária, Sr. Canalizador, Sra.Cabeleireira.
Passar o domingo no shopping.

Tirar a cera dos ouvidos com a chave do carro ou a tampa da esferográfica.
Axaxinar o Portuguex ao eskrever.
Gastar 10 mil contos no Mercedes C220 cdi, mas não comprar o kit mãos- livres porque "é caro".

Ir à aldeia todos os fins-de-semana visitar os pais ou avós.
Gravar os "donos da bola".
Ter diariamente pelo menos 8 telenovelas brasileiras e 2 imitações rascas da TVI na televisão.

Já ter "ido à bruxa".
Filhos baptizados e de catecismo na mão mas nunca pôr os pés na igreja.
Ir de carro para todo o lado, aconteça o que acontecer, e pelo menos a 500 metros de casa.

Lavar o carro na fonte ao domingo.
Não ser racista mas abrir uma excepção com os ciganos.
Levar com as piadas dos brasileiros, mas só saber fazer piadas dos alentejanos e dos pretos.

Ainda ter uma mãe ou avó que se veste de luto.
Ser mal atendido num serviço, ficar fodido pa vida mas não reclamar por escrito "porque não se quer aborrecer".
Viver em casa dos pais até aos 30 anos.

Na terceira idade, pendurar o guarda-chuva nas costas.
Acender o cigarro a qualquer hora e em qualquer lugar sem quaisquer preocupações.
Ter pelo menos 2 camisas traficadas da Lacoste e 1 da Tommy (de cor amarelo canário e azul cueca).

No restaurante largar o puto de 4 anos aos berros e a correr como um louco a incomodar os restantes tugas.
Ter bigode e ser baixinho(a).
Conduzir sempre pela faixa da esquerda da auto-estrada (a da direita é para os camiões).

Ter o colete reflector no banco do passageiro
Pendurar o cd no retrovisor para "enganar o radar".
Ter três telemóveis.

Jurar não comprar azeite Espanhol nem morto, apesar da maioria do azeite vendido em Portugal ser Espanhol.
Organizar jogos de futebol solteiros e casados.
Ir à bola, comprar "prá geral" e saltar "prá central".

Gastar uma fortuna no telemovel mas pensar duas vezes antes de ir ao dentista.
Cometer 3 infracções ao código da estrada por quilometro percorrido.

(ao que parece anda a circular pelos e-mails e pelos comentários dos blogs)
Tiago Alves

Irmandade dos Anéis (2)

A blogoesfera começa a atingir o chamado bliss point ou ponto de saciedade da política. Já há muitos, com muita qualidade, e é cada vez mais difícil inovar nesta área. Chega a ser desapontante escrever sobre um qualquer fenómeno e depois ver o nosso texto (ou pelo menos o seu tema) reproduzido com sinónimos em outras dezenas de blogues. Começa a ser chato abrir um blogue e descobrir lá sempre os mesmos assuntos. Como consequência, cresceu a demanda por blogues alternativos, mais intimistas, com mais imagens, com postas mais curtas e com humor refinado, às vezes até demasiado fácil, mas que nos entretém, nos diverte, nos relaxa, coisa que as constantes postas sobre política ateimam em não fazer, ou em fazer cada vez menos.

Os blogues femininos (pelo menos aqueles mais conhecidos, e talvez à excepção do Semiramis) encaixam-se (não sendo os únicos, como é óbvio) nestas características (acho que já tinha feito este comentário no Miss Pearls, mas não encontrei). Não é por isso de estranhar o sucesso que, quando dinâmicos, irreverentes e, acima de tudo, originais, alcançam, e que sejam referidos por diversos bloggers, incluindo os políticos, quiçá um pouco fartos da mesma. Assim como estes, já tão bem referenciados, como comecei por afirmar, muitos outros blogues (como este que lêem) tendem a mudar um pouco a sua linha editorial, e a afastar-se cada vez mais da política para explorarem outros factores, talvez até mais engraçados, mais fáceis de postar e sem tanta banhada ideológica. A blogoesfera fica mais rica; e agradece.

Tudo isto para dizer que o Sociedade Anónima parece-me ser um blogue muito bom; e que vou lá voltar.
Tiago Alves

Irmandade dos Anéis (1)

Elas chegaram, há uma dúzia de dias, e já são referenciadas em todo o lado. Será só por serem mulheres, por serem muitas mulheres e por falarem de coisas de mulheres? Não creio.

A blogoesfera deve o seu reconhecimento extra-muros devido à boa qualidade de alguns textos de jornalistas/opinion makers conhecidos da praça pública (Vital Moreira, Francisco José Viegas) ou de talentos emergentes (que agora também emergem nos jornais, como Luciano Amaral, Pedro Lomba). Numa palavra, a blogoesfera foi populizada pelo Abrupto de JPP. E quem é JPP, assim como todos os outros que ajudaram a esta popularizaçao? São políticos, aspirantes a políticos, opinantes de política. O que tornou a blogoesfera no que é hoje? A Política.

Foi por isso que, por cada dez new blogs on the block, se calhar cinco dedicavam grande parte das suas postas à agenda política ou a temas subsequentes. Era algo sobre o qual não era assim tão dificíl escrever, pelo menos para pessoas minimanente atentas e, além disso, tínhamos milhares de blogues a quem recorrer quando a inspiração escasseava, além de que esse parecia ser o caminho para a popularidade e quem sabe, para alguns mais altos vôos. Pois bem, a tendência começa a inverter-se.
Tiago Alves

quinta-feira, outubro 27

Recordar..

..uma das melhores bandas portuguesas de sempre, Silence 4

This is me with another nervous breakdown
My pressure dropped, this body went with it
Memory fails, I'm feeling claustrophobic
I scream my silent pain in this big plain
There's no one here
Tell me who is there now
Who is there with you
I'm taking no calls unless it's her voice
I'm seeing no one unless it's her
I open the mailbox every hour
Maybe I'll hit the postman
I want to hear some love words
But not it that dyslexic voice
No I won't tear apart for you
But I was given no choice

I guess I was trying to keep me alive
But once I was dead there was nothing to do beside
Picking me up and lying me down
Waiting for some angel
To wake me and say to me
"Hello. Don't be scared. I want you to know, you're not dead."

Kiss me, is this a dream?
Should I believe it?
Please promise to me that I'm not going to get hurt this time.
Am I too good for you, am I just paranoid?
Should I clinical ou should I speak louder?
Maybe I should close my eyes for years
And wait for the strongest feeling
Out of all of the feelings to raise from you.
Am I real? Are you real? Is this real? What's real?
Am I real? Are you real? Is this real?
Tell me, what's real?
Angel Song
Tiago Alves

A propósito das greves

Acho que já escrevi isto no blog mas, como não encontrei o correspondente post (afinal de contas, O Telescópio já vai quase nas quatro centenas de textos), reafirmo:

Se não há limite de requisições civis por mês, porque não tornar a coisa automática?
Tiago Alves

Diálogos do Terreiro do Paço*

Jurista em greve: A culpa é toda do Governo, que só ataca os nossos direitos! Abaixo o Governo! Abaixo o Poder Executivo!

Jurista em greve 2
: O Governo não faz nada! E na Assembleia é só gajos do Governo! Abaixo a Assembleia! Abaixo o Poder Legislativo!

Jurista em greve 3:
São todos uns malandros! Abaixo todos os Poderes!

Restantes juristas:
(...)
Tiago Alves
*um pouco telescopiado deste post, no 2+2=5.

quarta-feira, outubro 26

Fenilalanina

Devido às constantes frases em tom de alerta ("Este produto contém uma fonte de fenilalanina") que tenho visto repetidas em inúmeras embalagens dos mais diversos produtos (pastilhas, rebuçados) resolvi prestar serviço público.

Fenilalanina

A Fenilalanina é um aminoácido essencial que pode atravessar as barreiras de sangue no cérebro; pode ter um efeito directo na química do cérebro. Uma vez que está no corpo este aminoácido pode ser convertido
em tirosina, outro aminoácido. Este aminoácido sintetiza a dopamina e a norepinefrina, que promove alerta mental.

A fenilalanina realça o humor, a disposição e o ânimo, diminui as dores, auxilia na memória e na aprendizagem,
e suprime o apetite.
A suplementação de fenilalanina pode ser usada para tratar a artrite, depressão, cólicas menstruais, dores de cabeça, obesidade, mal de Parkinson, e esquizofrenias. A forma DL- da Fenilalanina pode aliviar os sintomas de tensão pré-menstrual (TPM) e vários tipos de dores crónicas.

A fenilcetonúria clássica é uma doença hereditária do metabolismo que resulta em atraso mental e outros problemas neurológicos quando o tratamento não é iniciado nas primeiras semanas de vida. Quando é atempadamente adoptada e mantida uma dieta rigorosa, é de esperar um desenvolvimento e esperança média de vida normais nas crianças afectadas. Esta doença resulta da deficiência de uma única enzima: a fenilalanina hidroxilase, que converte o aminoácido essencial fenilalanina noutro aminoácido, a tirosina. A incapacidade de fazer esta conversão resulta na acumulação de fenilalanina. Através de um mecanismo que não é bem conhecido, a fenilalanina em excesso é tóxica para o sistema nervoso central.

(com algumas correcções em relação ao Português Brasileiro)

Tiago Alves

terça-feira, outubro 25

Sistemas Desenvolvidos

A propósito do padrão descoberto pelo Karloos, a única forma que eu encontro de ligação reside no facto de o Monarca ser tido como alguém longe do círculo político (e isto não é necessariamente verdade; afinal é um cidadão), o que permite pensar que colocará em primeiro lugar a Nação, não tendo necessidade de seguir caminhos populares ou fáceis que lhe podem custar o Poder, pois o Poder é hereditário; ninguém lho tira, em teoria.

Além disso, assume-se como um ponto de união da população, podendo servir de foco de estabilidade em crises políticas e não só. Podem, assim, contribuir para uma melhor imagem de identidade nacional, de respeito e orgulho no Passado. Tal imagem pode potenciar o empenho da população em resolver os problemas do País. Se o PM disser que "é preciso cortar a direito para salvar a nau" terá greves e agitações; mas se o Rei assim o indicar, decerto essas greves não terão lugar ou serão menos violentas.

Não se deve porém induzir que todos os Monarcas assentam nesta luva, e talvez só em países ocidentais (os do ranking...) onde os Reis são controlados por uma severa Constituição eles possam ser, realmente, uma mais valia.

Quanto ao sistema presidencialista, não tenho nada contra. A separação de poderes, tão propalada, assenta em três vectores: Executivo, Legislativo e Judicial. Não sei, realmente, porque é que o Executivo há-de estar ao cargo de duas figuras com um potencial de antagonismo (ideológico, pelo menos) enorme, como aconteceu em 1986-95. Mesmo assim, e porque também não percebo para que servirá um PM na França, proponho um sistema parecido com o alemão, onde "é lei" governar com Maioria Absoluta. Esta história da representação proporcional é muita conversa e pouca acção. E precisa-se de acção.

Publicado n'O Eleito
Tiago Alves

momento

" Fear is the path to the Dark Side. Fear leads to anger. Anger leads to hate. Hate leads to suffering"
Tiago Alves

segunda-feira, outubro 24

Super Irritantes II

Não sei se foi para mim se não.

Seja como for, não disse para deixarem o "Cavaco em paz, coitadinho". Apenas atentei para o facto de o blog não estar a passar a imagem de Blog não oficial de apoio à candidatura de Mário Soares mas sim a de Blog não oficial de ataque fácil, repetitivo e baixo à candidatura de Cavaco Silva e aos apoiantes da mesma.

Mas não digo mais nada. Deixo-vos em paz, coitadinhos...

Tiago Alves

À atenção de Alegre

Num outro paralelismo com a actual situação de Alegre ("meu camarada e amigo"), Coelho apontava o exemplo de Zenha, "um grande cidadão, um grande socialista e um grande democrata", que, em 1986, por "divergências políticas", avançou contra Soares. Nessa época, "Salgado Zenha, que não só proclamava a ética, como a cumpria", demitiu-se do PS e "todos os seus apoiantes suspenderam as suas funções" nos órgãos partidários.
Jorge Coelho, citado pelo DN

Publicado também n'O Eleito

Tiago Alves

domingo, outubro 23

Super Irritantes

É impressão minha ou, não tendo grandes qualidades para aplaudir no seu candidato, os amigos do Super Mário gastam o seu latim em atacar todos aqueles que veêm do outro lado da barricada? Estão assim tão assustados? São assim tão arrogantes que colocam os restantes candidatos fora do debate? Mesmo quando um deles diz que ele é que é o segundo classificado?

Será que este blog nasceu, afinal, apenas para ir atacando aqueles que se vão declarando seguidores da candidatura de Cavaco?

É que se assim for, ainda faltam uns bons milhares de posts.
Tiago Alves

Porto d'Honra - o líder da mudança

As organizações têm, regra geral, uma tradição hierárquica e um conjunto de linhas de autoridade e comunicação muito próprias, fruto da história da própria organização e de um conjunto de pequenas influências dos seus líderes ditos normais. A espaços surge um líder diferente, que empolga a organização, que muda vários trâmites, que a refunda, que traça novos objectivos e, por norma, a catapulta para vôos mais altos. São normalmente épocas douradas onde o líder responsável por esse brilho ganhará para sempre o lugar na História.

Porém, como tudo, esse líder é efémero. E não raramente quando a sua liderança acaba a organização tende a passar por um período de menor fulgor, mesmo de retrocesso. O povo (que aqui pode-se traduzir como todos aqueles com quem a organização mantinha uma relação razoável) clama pela alma perdida; o povo perde (de novo) a esperança e a confiança na organização e começa a lembrar, de forma saudosa (e tão portuguesa) o Messias que fez mudar as suas vidas. A organização, minada pelo facilitismo decorrente dos anos áureos ou por aqueles que viram o seu poder diluído com o carismático líder, perde a maioria dos novos processos inscritos, voltando a pouco a pouca, mas de forma firme, aos seus anteriores automatismos. Esperando por outro Messias.

Parece que a nossa República funciona de igual maneira. Espera-se sempre por um Messias; muitas vezes até nem o aplaudimos quando ele está em actividade ou somos ingratos aquando da sua retirada. Mas vivemos depois ansiosos pelo seu regresso ou pelo regresso de alguém que consiga recolocar o País nos eixos por ele criados (e entretanto abandonados). Parece ser este o caso de Cavaco Silva. Uma década bastou para o autoritário, frio e arrogante PM voltar e ter a passadeira estendida e se esperar dele a força e o impulso necessários para mudar os trâmites. Esperam-se mudanças para melhor no curto prazo mas hipoteca-se, a meu ver, o longo prazo, ao basear, de novo, as mudanças de regime numa pessoa. O que acontecerá quando esse líder abandonar? Estarão aqueles que agora advogam Cavaco Silva (até) para Presidente do Conselho de Ministros dispostos a dar tamanho poder ao seu sucessor? Ou mesmo ao seu antecessor, Jorge Sampaio, que já deu mostras do seu partidarismo? Depende da pessoa, alguns me dirão. Mas aí caminhamos para a ditadura do chefe.

A mudança de regime, mesmo necessária, deve resultar de um movimento de fundo por parte da sociedade, civil ou não-civil, organizada em think tanks ou em aparelhos partidários, das Universidades ou de opinion-makers, tão na moda no nosso país. E aqui está o verdadeiro problema, pois em Portugal só se advogam mudanças através da força de uma revolução ou golpe de Estado. O que Cavaco pode fazer é ser o impulsionador de um ataque à Constituição que a abra à Sociedade e que lhe permita participar activamente e dizer qual é, afinal, o seu desejo. Coisa que tem sido impossível descortinar de há anos para cá, com os sucessivos recordes de abstenção.

Publicado n'O Eleito
Tiago Alves

sábado, outubro 22

a PT, o Estado e os consumidores

O Tribunal de Justiça Europeu condenou o Estado português por favorecer a PT Comunicações ao não transpôr a directiva comunitária relativa à concorrência nos mercados de serviços de telecomunicações, isentando a empresa do pagamento de taxas.
Segundo a Lusa, o acórdão do Tribunal de Justiça das Comunidades Europeias dá razão a uma queixa apresentada pela Comissão Europeia em 2003, segundo a qual o Estado português «concedeu à PT Comunicações um tratamento diferente daquele que beneficiam os outros operadores» ao isentar a empresa do pagamento de taxas.

No caso em questão, a PT, refere o tribunal, está isenta do pagamento das taxas e dos encargos relacionados com as infra-estruturas de telecomunicações ou com a passagem das diferentes partes da instalação ou do equipamento necessário à exploração da rede concessionada.
A Comissão Europeia alega, precisamente, que os referidos privilégios conferem à PT Comunicações «uma vantagem directa sobre os seus concorrentes». A Sonaecom também apresentou uma queixa no Tribunal contra o estado português.

Refere também que o facto de os novos operadores suportarem encargos mais elevados do que o operador histórico pode implicar um atraso no desenvolvimento das suas redes»
noticiou a Lusa.
---------------
Deixem ver se eu percebi. Os consumidores estão a pagar uma factura imensa à PT, veêm a mesma descer muito pouco quando recorrem a outros operadores (pois estes têm também de pagar à PT), tudo devido ao monopólio concedido ao gigante. Para acabar com este atentado à concorrência e aos consumidores, o Tribunal condenou o Estado a pagar uma multa. E quem vai pagar a multa? Os consumidores!
Tiago Alves

Lembram-se?

Survivor - I'll be ready

Some people stand in the darkness
Afraid to step into the light
And some people need to help somebody
When the edge of surrender's in sight

Don't you worry
It's gonna be all right
Cause i'm always ready
I won't let you out of my sight

I'll be ready
Never you fear
I'll be ready
Forever and always
I'm always here

Within us we all have the power
Though sometimes it's so hard to see
That instinct is stronger than reason
It's just human nature to me

Don't you worry
It's gonna be all right
Cause i'm always ready
I won't let you out of my sight

I'll be ready
Never you fear
I'll be ready
Forever and always
I'm always here

Tiago Alves

Máquinas Suíças

"O Rolex Oyster Deep Sea Special No. 1 é o relógio mais resistente à profundidade dentro de água alguma vez já fabricado. Já esteve a uma profundidade de 10,915 metros na Fossa das Marianas, no Oceano Pacífico, o local da terra mais fundo que se conhece. Fabricado em 1958, este Rolex vai a leilão em Genebra (Suíça) no dia 14 de Novembro e está avaliado entre 64 e 95 mil dólares"
in Público
Tiago Alves

Rescisão Colectiva

Mesmo que nada aconteça e que sejam pagos alguns ordenados aos jogadores do Vitória de Setúbal, o simples facto de a ameaça ter acontecido deixará para sempre marcas e constitui um sinal muito sério aos senhores dos clubes. O Vitória é um clube da Primeira Liga, venceu no ano passado a Taça de Portugal e mesmo nesta época mantém-se em 5º lugar. Importa lembrar que metade da equipa da equipa da época anterior rumou a outras paragens (teórico encaixe financeiro) e o reforço da equipa fez-se por baixo, muito por baixo, recorrendo-se a ligas inferiores e aos dispensados alheios.

Espanta por isso que, apesar de a crise se arrastar desde o ano passado (a vitória na Taça foi um balão de oxigénio para a Direcção) e do saldo das contratações aparentar ser positivo a situação alcançou contornos dramáticos e humilhantes para os jogadores, alguns deles a enfrentar processos de despejo. A profissão de futebolista é encarada na sociedade nacional como sinónimo de desafogo orçamental. Vê-se que não é bem assim. Exceptuando os grandes clubes e as estrelas de alguns intermédios, a média não ultrapassa os 1500 euros mensais. Por isso, e como qualquer comum mortal, um mês sem receber já é complicado, quanto mais meio ano!

O caso do Setúbal, tal como alguns outros (Salgueiros, Farense) mostra a falência do modelo nacional das SAD. Muitas vezes centradas numa só pessoa, controladora do clube, não conseguem constituir-se como uma verdadeira empresa e encontrar, senão o lucro, ao menos o não-prejuízo. Mesmo as empresas portista, que alcançou lucros anormais com a venda da "equipa de Mourinho" voltou este ano aos crónicos prejuízos, não se apostando numa lógica de sustentabilidade. Assim sendo, e mais uma vez exceptuando o caso dos grandes e intermédios (onde a venda dos direitos publicitários dos próximos 20/30 anos vão salvando as contas), todos os clubes que não souberem gerir os seus activos e compreender bem o que são os resultados desportivos e a sua interacção com os económicos, acabarão como os casos citados.

Tiago Alves

p.s. No caso do Setúbal, além disso, a Autarquia tem uma parte importante do capital (o que eu considero errado); não deixa de ser estranho não se ter ouvido, até agora, uma palavra de Carlos Sousa...

sexta-feira, outubro 21

O Eleito

O Eleito, mais uma iniciativa dos senhores do Dolo Eventual, vai procurar debater, nas palavras dos mesmos, o Passado, o Presente e o Futuro da República. O tema Presidenciais estará, obviamente, em cima da mesa. Tenho o prazer de pertencer à equipa e aproveito para, mais uma vez, agradecer o convite do David Afonso. A partir de Domingo, seremos mais uns a andar por ai.
Tiago Alves

A resposta?

Super Cavaco. Não deixa de ser fraquito; surge claramente em resposta (para não dizer imitação) ao outro Picheleiro. Em claro contraste com a realidade. Não consigo deixar de pensar numa cabala...
Tiago Alves

A arte de conduzir o povo?


DEMAGOGIA
do Gr. demagogía, arte de conduzir o povo.

s. f., governo ou actuação política pautada pelo interesse imediato de agradar às massas populares, com o fim de alcançar o poder ou de o manter;
situação política em que o poder é abandonado às multidões.
Tiago Alves

a batata quente

O Aborto e o seu referendo.

Tanto Sampaio como Cavaco (instado pelos jornalistas quase como se fosse certa a sua eleição...) descartam-se do tema em epígrafe. É normal. É algo complexo, é algo que mexe com muita gente, da esquerda à direita, passando por cima de etnias partidárias. Não querendo ficar conhecido pelo "homem que convocou o novo referendo" Sampaio, nos seus últimos fôlegos, recorre ao TC quase como uma desculpa, uma desresponsabilização que eu, pessoalmente, acho triste. Então não há de haver ninguém que saiba dizer, afinal, quando começa e acaba uma sessão legislativa? E se Sampaio antes "não tinha dúvidas nenhumas [sobre o caso da sessão]" como pode agora falar em rumores, dando até o mote para a Esquerda decidir o caso na Assembleia? Desresponsabilização.

Quanto a Cavaco, utilizando uma polida desculpa - I am not in the charge - soube escapar-se ao tema, embora tenha ficado no ar a sensação de que não seria uma força de bloqueio à decisão parlamentar. Cavaco sabe, porém, que não pode viabilizar (já) um acto rejeitado há meia dúzia de anos em referendo nacional. Mas também sabe que não deve assumir posições dogmáticas. E por isso espera, talvez, que a batata quente fique com Sampaio ou com os deputados da Maioria, e ai apodreça.

Dar oportunidade aos Portugueses para se pronunciarem em referendo sobre a matéria (honra ao prof. Marcelo Rebelo de Sousa, então líder laranja) é reconhecer que o tema é complexo e que não pode ser votado numas Legislativas como uma outra qualquer alínea de um programa eleitoral, assim como mudar agora de ideias é incongruente a não ser...que se argumente que mais de metade da população não deu muita importância ao referendo; e esse deveria ser (ter sido) o caminho da Esquerda. Porque agora, todos estes anos depois, já é um pouco tarde.
Tiago Alves

"Não me resigno"

Cavaco Silva apresentou, finalmente, a sua candidatura.
Sem recorrer ao show, sem notáveis e sem bandeiras laranjas, o professor deu início à sua caminhada para Belém. Afirmando "não se candidatar contra ninguém", procurou demarcar-se dos objectivos dos seus adversários - impedira sua eleição. Avançou porque se afirma "convencido de que pode ajudar". Mostrou que quer ir até Belém. Não avança por pressões de ninguém - como mostrou pelo calendário escolhido, não pretende fazer das Presidenciais uma segunda volta das Legislativas, e que sabe bem os seus limites e as suas "formas de actuação".

Não foi brilhante; o clímax não estava marcado para ontem e acredito que aquela saída surreal não estava nos planos, não era pretendida, e deveu-se sobretudo à fome imensa que assola todos os média no que toca ao professor. Percebeu-se o esforço de Cavaco para responder, de forma calma e sorridente, às perguntas pós-conferência mas, a dada altura, a sua postura pragmática e pedagógica veio ao de cima, sempre de uma forma leve e ponderada, quando disse que "[os jornalistas] tinham tido tempo para fazer as perguntas". De forma enfática, firme mas também dialogante.

Talvez se tenha centrado demasiado em questões económicas mas, se pensarmos bem, porque área passam os grandes problemas do País? Cavaco não crê, e eu também não, que 480 mil desempregados esperassem que Cavaco prometesse subsídios para a cultura (sim, é provocatória); esperam uma palavra de esperança. Eles e todos os portugueses que sentem o sistema a ruir, que sentem não ter havido gente à altura durantes estes últimos tempos, que se sentem traídos pelo poder político. A afirmação só pode ter sentido por a formação e actuação cavaquista se centrar nestes aspectos e de este pecado ser um dos maiores trunfos dos adversários, que procurarão (presumo) recuperar as imagens de político de ferro, frio e calculista, indiferente às populações e à vida para além do défice (não me admiraria, aliás, que fossem recuperar os cartazes das paixões de Guterres de 1995).

Uma palavra para a paródia montada pela SIC para transmitir, em primeira mão, as reacções dos outros candidatos. Só Mário Soares, quem sabe avisado, não entrou no show e mandou o porta voz falar, não se entregando a todo este coro de arrastados, cuja agenda é, ao que parece, marcada pelo calendário do professor. O facto de todos terem acedido a comentar, daquela maneira, o acontecimento, só demonstra a atenção e a preocupação com que seguem e a importância que dão às manobras do professor Cavaco - em última análise, o motivo primeiro das suas candidaturas.

Tiago Alves

quarta-feira, outubro 19

Super Mário

Está ai o blog não oficial de apoio à candidatura do "velho Leão". Reunindo grandes nomes da blogoesfera esquerdista (embora também me espante não ver por lá a Joana), prepara-se para ser um dos braços armados da candidatura soarista. Que venha por bem e para debater; que venha sem ideias feitas. A resposta não se fará esperar.
via A Arte da Fuga
Tiago Alves

coisas que me fazem feliz?

A manifestação de amanhã e a previsão do tempo para esse mesmo dia.
Tiago Alves

terça-feira, outubro 18

Já está!

Tiago Alves

re-orçamento

Ainda aqui tenho o especial do DE sobre o Orçamento do ano passado, redigido por Bagão Félix e Santana Lopes. Lembram-se deles? Hoje trouxe para casa o especial deste ano.

Dúvidas, esperança, receita, combate à evasão fiscal, estrutural, privatizações, previsões irrealistas e défice continuam a ser as palavras que figuram no top das mais escritas. Não percebo. Mudam-se os tempos e os ministros,
e nada mais?
Tiago Alves

segunda-feira, outubro 17

Negociações salariais - proponho 3.7%

No âmbito da habitual troca de impressões do Ecofin sobre a situação económica da Zona Euro, foram vários os ministros que manifestaram preocupação com o fraco crescimento económico. À luz das discrepâncias de crescimento entre países do Euro, os estados-membros são convidados a apresentar as suas previsões sobre a competitividade (preços/custos) das respectivas economias. E, até 15 do corrente, deverão transmitir a Bruxelas os planos nacionais de implementação da estratégia de relançamento económico da UE, Agenda de Lisboa.

Nesse quadro, os peritos da Direcção-Geral da Economia e Finanças da Comissão sugerem para a Zona Euro uma baixa generalizada dos salários de 3,7%, a fim de tornar as empresas mais competitivas e aumentar em 1% a taxa de crescimento dentro de três anos. A sugestão consta do relatório trimestral sobre a situação económica na "Eurolândia", publicado este mês.


in Jornal de Notícias, via Teorias da Conspiração

Eu nem comento, mas eles lá devem ter feito as contas.
Tiago Alves

Luta a dois


Tiago Alves

Constipações

A Grécia confirma o primeiro caso de gripe das aves. É oficial; o vírus já entrou nas fronteiras dos 25. Reuniões de emergência são feitas e pacotes de medidas estudados. Mas afinal o que é feito? Nada. Que pode ser feito? Menos ainda.

Se no caso da BSE bovina pode haver um razoável controlo de movimentos dos animais, sendo a maioria deles domesticados e pertences de alguém, nas aves o poder humano é liminarmente reduzido. Claro que se podem abater, como se tem abatido, milhares de aves e limitar ou mesmo proibir a importação de animais vivos das regiões afectadas. Mas os primeiros casos foram detectados em aves livres e migratórias. Como actuar? Como actuar no delta do Danúbio, um dos pontos de maior biodiversidade aviática do Mundo? Abater tudo? Por muito que se quisesse seria complicado. Chamar os caçadores para dar uma ajuda?

Sendo impossível controlar as migrações das aves o que resta aos Governos europeus é distribuir vacinas, informar as pessoas e ter medicação e apoio a postos assim hajam casos mais próximos dos nossos limites, como estou convencido que haverá. Os números apresentados por Portugal e pelo Reino Unido (principalmente este último) parecem-me, porém, uma barbaridade. Com a crise a desenvolver-se já há dois anos, com meios e com informação, como se esperam 50 mil mortos no caso de infecções? Pareceu-me alarmante... Seja como for, esperam-se desenvolvimentos, esperam-se más notícias.

Tiago Alves

domingo, outubro 16

a prova

Não eram só de adeptos do Benfica
Tiago Alves
p.s. Se Adriaanse não se queria ir embora rapidamente, não deveria ter dito o que disse. Se nunca pensou que pudesse ser confrontado com os lenços brancos é porque não conhece o futebol português. Se continua a ser Homem com H grande, só tem que fazer as malas e voltar para o país das túlipas.

Miccoli

Em homenagem ao rato Miccoli, que ontem teve azar e não pôde ajudar à festa.
Tiago Alves

As piores piadas do Mundo (recebido por e-mail)

Dois litros de leite atravessaram a rua e foram atropelados.
Um morreu, o outro nao, porquê?
Por que um deles era Longa Vida

O que é que a galinha foi fazer na igreja?
Assistir à Missa do Galo.

Como é que as enzimas se reproduzem?
Fica uma enzima da outra...

Como é que o o Batman faz para que abram a bat-caverna?
Ele bat-palma!!

Por que a mulher do Hulk se divorciou dele ?
Porque ela queria um homem mais maduro... ( he is green...get it?)

Dedicadas à minha partner.
Tiago Alves

como César Brito (2 secos na toca do Dragão)

Apesar de o Record me ter roubado o título que eu ontem, ainda mal refeito da euforia do segundo golo, disse que iria colocar na posta dedicada à brilhante vitória do Glorioso, eu insisto e ponho na mesma.
Tiago Alves

sexta-feira, outubro 14

Eu falava mas..

..o facto de ter vários amigos meus a tirar Farmácia impede-me de dizer tudo com as palavras certas. Seja como for, já era tempo de a AC mostrar trabalho, e bom trabalho!
Tiago Alves

Frases que ficam

Ando a descobrir novos blogues e depois encontro coisas que me tocam, embora possam parecer imensas parolices. Mal comecei a ler, ainda antes de chegar ao final, já sabia onde tinha lido aquilo. Só não me lembrava de tudo, mas logo as palavras se encandearam, logo todo o significado saltou. Não resisto a colocar aqui. Porque às vezes, algumas das mais belas prosas não vêm de romances baratos ou de telenovelas mexicanas; vêm de filmes de aventuras e de ficção pura, como este.

"Está tudo errado. O certo era nem sequer estarmos aqui. Só que estamos. É como nas grandes histórias, naquelas mesmo importantes, sombrias e cheias de perigos. E às vezes não se queria saber o final, pois como poderia ele ser feliz? Como podia o mundo voltar ao que era quando tanto de mau acontece? Mas no fim, é só uma coisa passageira, essa coisa sombria. Até as trevas têm fim. E um novo dia nascerá. E quando o Sol brilhar será ainda com maior intensidade. Eram essas histórias que nos ficavam na memória, que tinham algum significado, ainda que fôssemos novos demais para o perceber. Mas acho que percebo, sei que agora percebo. Os heróis dessas histórias tinham hipóteses de encurtar caminho, só que não encurtavam. Continuavam em frente, porque qualquer coisa os sustinha. Que nos sustém a nós? Saber que há bondade neste mundo. E que vale a pena lutar por ela"

Sam, no The Two Towers, fala com Frodo quando este começa a perder a coragem.
Tiago Alves

Alohomora!

Hoje à meia noite, no nosso Português, um pouco por todo o lado
Tiago Alves

Coisas que eu gostava de saber

O que são afinal aquelas três (sim já são três) esculturas de andaimes que enchem o lado Oeste do Terreiro do Paço? É mesmo só para mostrar as mil e uma técnicas de andaimar?; é para fazer publicidade à empresa?; ou há um qualquer outro objectivo superior?; Elucidem-me!
Tiago Alves

quinta-feira, outubro 13

Os foguetes

Uma recente posta do André Carapinha no 2+2=5 deu-me para pensar e para conceber aqui uma qualquer teoria para os resultados que ele nos apresenta.

A explicação parece-me até óbvia demais e certamente o colega iria dar com ela não fosse o seu objectivo refriar a festa da Direita e arranjar uma vitória moral que nem o magnífico Jorge Coelho conseguiu descobrir.

Se a maioria das Câmaras foram para a Direita; se para a Direita foram alguns dos concelhos mais populosos do País (Lisboa, Porto, Sintra, Gaia e por ai adiante); então a explicação mais óbvia residiria no facto de as vitórias da Direita serem tangenciais e as vitórias da Esquerda serem esmagadoras. Não deixa de ter um fundo de verdade. Afinal, a CDU (segunda força da esquerda) é uma potência autárquica enquanto o CDS (segunda força da direita) é uma tristeza autárquica, unicamente salva pelas coligações com os sociais-democratas.

Ora as maiorias de Direita raramente ultrapassaram os 60%, e onde isso aconteceu podemos sempre contrabalançar com as vitórias do PS, onde a Esquerda ficará sempre à frente. O colega Carapinha poderá confirmar isto mesmo se andar com aquela coisinha do site pelos distritos todos. Os distritos mais populosos (excepto um) saldam-se por um "empate técnico". As maiores maiorias (passe o pleonasmo) encontram-se em distritos pouco populosos (Bragança e Beja, por exemplo) excepto (como referi há pouco) a do distrito de Setúbal.

E aqui de desmistifica a coisa. A única razão para os foguetes lançados prende-se com o distrito de Setúbal, populoso pela sua proximidade a Lisboa e dominado (com mais de 70% dos votos) pela Esquerda. Consumido por um enorme estigma de que o PSD não vence (que eu senti de forma bem explícita na recente campanha aqui no Barreiro) o eleitorado laranja das Legislativas bipolariza o seu voto na CDU, para castigar as gestões PS, ou nos socialistas, para castigar a CDU. Não é por acaso que quase todo o distrito, antes levado por uma onda rosa que parecia querer acabar com a tradição comunista, virou agora vermelho vivo, apimentado com algumas tentações bloquistas. Setúbal é um concelho marcadamente esquerdista e se nas Legislativas a utilidade pende para o PS (na luta contra a Direita), nas Autárquicas a utilidade é o voto à esquerda, o que distorce qualquer leitura nacional que se possa pretender fazer baseando a análise, como o André fez, na fria contagem dos votos.

É esta a razão para os resultados (enganadores) que aparecem na primeira página do dito site. Ou fosse o facto de um distrito não evoluir motivo de vitória.
Tiago Alves

Quem sabe nunca esquece!

Já se sabia que o jcd do Jaquinzinhos tinha voltado à vida blogoesférica activa.
Não se sabia era que ele voltava em plena forma, como se nunca tivesse perdido o ritmo, pronto para dar cabo deles!
Tiago Alves

Excelente, como habitualmente

Luciano Amaral de volta aos editoriais do DN, desta vez com uma prosa sugestiva para como próximo Presidente da República. Não sei, professor Luciano, porque é que ainda não é regente de nenhuma cadeira, a não ser que lhe seja manifestamente mais agradável e pranzenteiro manter-se como assistente e em turmas pequenas. Seja como for, hei-de arranjar maneira de ter História Económica!
Tiago Alves

quarta-feira, outubro 12

Mr. Annan em Portugal

Além de ontem, também esteve hoje na minha reitoria a receber o grau de Doutor honoris causa, atribuído pela UNL. Consta que o meu companheiro Jota esteve lá e não lhe perguntou nada sobre aqueles embaraçosos problemas que a Organização atravessa. Afinal, era dia de festa.
Tiago Alves

segunda-feira, outubro 10

Day After - ou pensamentos avulso sobre as Autárquicas VII


Só para terminar, sou só eu que acho que o Rui Rio dava um grande líder não só do Porto mas também do País?
Alguém aposta um almoço?
Tiago Alves

Day After - ou pensamentos avulso sobre as Autárquicas VI

Porque é que já é a segunda vez que eu ouço o dr. Mário Soares a apelar ao voto no seu partido em dia de eleições e o homem ainda não é arguido em nada?

E já agora, porque carga de água é que a TVI encomendou uma sondagem presidencial para o dia das Autárquicas?
Tiago Alves

Day After - ou pensamentos avulso sobre as Autárquicas V

O António Vitorino foi eleito para a Assembleia Municipal de Setúbal? O Marcelo era candidato a alguma coisa?
Tiago Alves

Day After - ou pensamentos avulso sobre as Autárquicas IV

Mini-teste de Estatística na quarta feira; revisões de última hora:

Qual é a probabilidade de encontrarmos um Presidente de Câmara eleito pelo Bloco arguido em um qualquer processo?

Casos Possíveis: 1 (número de Câmara conquistadas pelo Bloco)
Casos Favoráveis: 1 (número de Presidentes de Câmara eleitos pelo Bloco arguidos)

Probabilidade = 100%

Tiago Alves

Day After - ou pensamentos avulso sobre as Autárquicas III

Ainda tenho em frente à minha casa um outdoor do PS da Moita com a seguinte frase:
AS SONDAGENS CONFIRMAM: ESTAMOS TACO-A-TACO. VOTE. É DESTA!

Resultados oficiais:

CDU 49.79%
PS 26.17 %
PSD 9.12 %
BE 8.83 %

O primeiro telefonema da noite de ontem deveria ter ido directamente para os senhores dos cartazes; Retirem-nos, e de preferência ontem!

Tiago Alves

Day After - ou pensamentos avulso sobre as Autárquicas II

A grande vitória do Bloco foi a derrota do Avelino.

A grande vitória de Sócrates foi a vitória de Valentim Loureiro.

A grande vitória do CDS foi só ter suportado 25% dos custos das campanhas conjuntas com o PSD.

Tiago Alves

Day After - ou pensamentos avulso sobre as Autárquicas

Os que vencem e não têm medo de ninguém;

57.53%

46.53%

Os que vencem...mas a medo;

34.05%
Tiago Alves

domingo, outubro 9

Não querendo bater mais no ceguinho..

Eu, que sempre fui daqueles que defendi o Ricardo como melhor GR nacional, titular indiscutível da Selecção, não me posso calar ao ver isto:

26' - Livre apontado na direita do ataque do Liechenstein... D'Elia consegue o cabeceamento após saída fora de tempo de Ricardo. O perigo rondou, pela primeira vez no encontro, a baliza de Portugal.

32' - GOLO DO LIECHTENSTEIN... FISCHER. Fischer aproveita da melhor forma um desentendimento entre Paulo Ferreira e Ricardo (este desentendimento merece ser aprofundado; a bola é claramente do Paulo Ferreira, que preprava-se para atrasá-la para Ricardo, que devia estar na baliza, pronto para a pontapear; a culpa do golo é exclusivamente do Ricardo) e empurra a bola para o fundo das redes portuguesas para um surpreendente 0-1.

78' - Ricardo volta a falhar, levando o Liechtenstein quase a marcar. O guardião português soca o esférico para a zona central onde surge um adversário a rematar de pronto. A bola é desviada da baliza por um colega. Sorte para Portugal.

O homem está de rastos, sem ritmo, sem confiança; todos os lances de perigo do adversário resultaram de falhas medonhas do guarda-redes. Não será melhor para todos ele parar também na Selecção, enquanto se espera por melhores dias ou por Dezembro, para mudar de ares? Não vê que, ao invés de lhe estar a dar confiança, só está a piorar as coisas sr. Scolari?
Tiago Alves

Já está!

Portugal na Alemanha, como era sua obrigação, apesar do jogo pobre e do Liechtenstein ter jogado com dois guarda redes (nota: segundo as regras, só é permitido um). Cumpriram a obrigação e pouco mais, tendo de saltar do banco o homem do momento para selar a vitória. Parabéns, o sonho continua. Vemo-nos no Verão que vem.
Tiago Alves

Que grande desfeita, S. Pedro!

Não fique em casa!
Tiago Alves

sábado, outubro 8

"Tempo de fazer amigos"


Mao

Mao, na secção de opinião de hoje do DN. Para ler e pensar.
É frustante ver a edição on-line do DN tão reduzida num dia em que não se fala de política.
Tiago Alves

sexta-feira, outubro 7

A mão [em] Bush

'God would tell me, 'George, go and fight those terrorists in Afghanistan'.'

"And I did, and then God would tell me, 'George, go and end the tyranny in Iraq...' And I did.

"'And now, again, I feel God's words coming to me, 'Go get the Palestinians their state and get the Israelis their security, and get peace in the Middle East.' And by God I'm gonna do it'," said Shaath.

via fuga para a vitória

George Bush, afinal, só cumpre ordens de Deus. Confesso-me desapontado.

Tiago Alves

Margens de Erro

Ainda não é meia noite; ainda se fala de eleições e de sondagens.
Margens de Erro, de Pedro Magalhães, é o blog do momento.

Por falar em sondagens, e sendo eu um fanático por individualismo e responsabilização, também acho (numa frase muito Santana Lopes) que os meninos das sondagens (e não falo directamente do Pedro Magalhães) deviam ser mais responsabilizados, assim como os aproveitadores de resultados. É a mais moderna forma de manipular as massas. É a propaganda dos tempos actuais!

Acredite-se ou não, hoje as sondagens podem decidir eleições, tal é sua capacidade de influenciar o eleitorado. A perspectiva de vitória de alguém que motiva esse voto, o "empate técnico" que desvia os eleitores para o voto útil, a diferença abismal que demove o voto no perseguidor...

É por isso que resultados como o avançado ontem na TV, da autoria da Intercampus, que coloca Carrilho em primeiro, quando outros resultados dão um avanço de 10 pontos a Carmona só pode ser entendido como pagos pelo Dr. Jorge Coelho. Os tais que ele diz que tem: que os faz estar taco a taco.

Não é por acaso que Santana Lopes de uma forma errada disse muita coisa certa quando atacou os homens das sondagens aquando da campanha Legislativa. Ele sabe muito bem duas coisas: 1. o poder delas; 2. o poder que é exercido sobre quem as faz. Cada vez mais quem detém o poder nas sondagens detém o poder de dar o poder. Ele sabia disso. Jorge Coelho também sabe.
Tiago Alves

Mantorras e as selecções

Parece que Angola se apurou para o CAN. Más notícias para o Benfica. É óbvio que concordo com os encontros das selecções e tudo isso. Mas a entidade empregadora tem de ficar salvaguardada, senão vejamos:

Mantorras até nem é titular, o que constitui uma atenuante mas, a estabilizar (como tudo indica) a táctica dos dois avançados, Mantorras é a alternativa óbvia para suprir algumas lesões ou quebras de forma de algum dos habituais titulares. Perda desportiva.
Mantorras não vai estar a produzir riqueza para a entidade empregadora. Não vai jogar, não vai marcar golos, não vai empolgar equipa e adeptos quando entra, não vai levar gente ao estádio, vai vender menos camisolas naquele periodo. O Benfica, porém, continuará a pagar-lhe os ordenados.Perda financeira.

Mantorras não vai jogar no Benfica mas jogará na selecção. Pode-se lesionar, pode portar-se mal e apanhar um castigo internacional que o impeça de jogar na Champions. Possível perda desportiva.
Mantorras não vai cá estar durante um mês e tal. O Benfica precisa de uma salvaguarda de qualidade e provavelmente irá reforçar-se, comprando ou trazendo alguém emprestado. Gastos que poderiam entrar na rubrica extraordinários. Possível perda financeira e possível perda desportiva (caso o susbtituto não seja à altura)

Ainda não consegui pensar numa forma de conjugar tdos os interesses mas acho que um pagamento aos clubes (parte do salário, pelo menos) e uma certa salvaguarda aquando de lesões eram bons primeiros passos. Além disso, a FIFA podia intervir no sentido de, atendendo a todas as especificidades dos 5 continentes, conjugar melhor os calendários das selecções, o que implicaria, claro está, mexidas nos campeonatos nacionais. Fazer com que todos acabem na mesma altura ou conjugar algumas pausas com outros eventos não me parece um trabalho assim tão hercúleo, assim haja vontade para tal. Se queremos um futebol globalizado, temos de dar garantias para tal.
Tiago Alves

Gung Ho!

Termina hoje a campanha autárquica. Amanhã será o famoso dia de reflexão. De Viana a Faro jogam-se os últmos trunfos, prometem-se as últimas obras, renovam-se as críticas aos adversários, procuram-se todos os indecisos, faz-se a última caravana e as últimas distribuições de folhetos. Se há locais onde a vitória ou a derrota é um dado adquirido, outras há em que se está taco a taco. São nessas terras que o dia 9 é mais aguardado.
É o tudo por tudo; Gung Ho, como se diria no CM.
Não escrevo mais; vou para a campanha!

Tiago Alves

Era Outubro, despertei; era dia e gostei..


Uma homenagem d'O Telescópio.
13 anos ao serviço dos telespectadores.
Tiago Alves

quinta-feira, outubro 6

Pelos caminhos da Moita*

A Moita é já aqui ao lado e por isso não perdi a oportunidade de fotografar mais alguns cartazes. Tal como no Barreiro, a campanha anda ao rubro, com o PS a jogar tudo por tudo para conquistar a autarquia. A aposta em Eurídice e o cativar de algumas pessoas influentes no concelho tem dado os seus frutos: as últimas sondagens reflectem um "empate técnico". Não querendo ser tendencioso, o Executivo da Moita, liderado por João Lobo, tem sabido aproveitar as oportunidades e colocar o "concelho em movimento", gozando de uma certa reputação junto dos eleitores que vai ser difícil ultrapassar, apesar de toda a "força que a mudança" que parece envolver a candidatura socialista. Seja como for, taco a taco parece ser a expressão que melhor reflecte o momento autárquico, com todos os prognósticos a serem reservados para o dia 9 à noite. À coligação PSD/CDS resta ver os votos a voarem, naquela perspectiva útil, sendo que apenas a inexistência de uma maioria comunista (agora existente) na Assembleia Municipal poderá conduzi-los a um papel mais activo, passando os sociais-democratas a funcionar (como acontece no Barreiro) como a chamada força de charneira.

Tiago Alves
*com a já habitual vénia ao Dolo Eventual e a habitual nota sobre o envio das imagens.

Pelos caminhos do Barreiro II*

Não alheio a tudo isto está o PSD que conta, este ano, com um candidato de peso: Bruno Vitorino, deputado nas últimas legislaturas pelo distrito de Setúbal, jovem e muito reputado no concelho pela sua acção política é quem dá a cara pelo projecto laranja. Com objectivos ambiciosos (dobrar a votação e os mandatos), têm vindo a denunciar o aproveitamente político por parte de Emídio Xavier (em baixo) de obras do poder central ou propostas pelos deputados municipais do PSD para o Barreiro. A escola que serve de fundo ao cartaz é uma delas. O PS tem-se mostrado, ainda assim, confiante na vitória, pedindo uma maioria clara para poder governar o Barreiro.
Há uma grande ansiedade devido ao desconhecimento do poder do Bloco e do movimento gerado pela candidatura de Bruno Vitorino, que pode transfigurar dramaticamente o paradigma de poder tradicional do concelho.


Tiago Alves

*com a devida vénia ao Dolo Eventual, para quem já foram mandadas as imagens

Pelos caminhos do Barreiro I*

Num concelho tradicionalmente de esquerda, apelidado em tempos de "Moscovo", 27 anos de domínio CDU deram lugar a um Executivo Socialista há quatro anos atrás. Foram apenas 500 os votos que fizeram de Emídio Xavier o actual edil barreirense. Por estes dias a luta anda ao rubro, com a contestação ao actual líder a subir de tom. Assim como a CDU aspira a regressar ao Poder, o Bloco espera valer-se dos recentes resultados e da reputação do seu candidato (Mário Durval, Delegado de Saúde da cidade) para eleger um vereador.

Tiago Alves
*com a devida vénia ao Dolo Eventual, para quem já foram enviadas estas imagens

quarta-feira, outubro 5

Não, não me esqueci

Disseram-me há pouco que não tinha postado nada a propósito do feriado comemorado hoje: a implantação da República.
Pronto, agora já fiz.
Tiago Alves

p.s. Não é suposto levar a mal nem tecer considerações pouco democráticas sobre a minha opinião republicana mas, dado o estado a que o Estado e o próprio País chegaram, acho que se prestava melhor homenagem à nossa República (à República, não àqueles que a implantaram, e que pretendiam uma República igual à Monarquia, só que com eles a mandar..) se abdicássemos dos discursos de treta da nossa Entidade Superior, seguidos dos habituais comentários (do género PM a dizer que o sr. Presidente manifestou apoio às nossas políticas logo seguido do líder da Oposião a regalar-se com o enorme puxão de orelhas que o sr. presidente deu ao Governo) e passássemos este dia a criar riqueza, empregos e a procurar recuperar do atraso que nos farda e impede o nosso desenvolvimento.

p.s. 2 Tudo bem que eu estudo, não trabalho e não produzo riqueza nenhuma (talvez umas gramas enquanto vou ajudando na pastelaria familiar). Mas na minha Faculdade há gente suficientemente elucidada que me dá a certeza de que toda e cada uma das aulas que perdi hoje serão repostas em dias a anunciar, dando-me cabo do bonito horário que tantas horas demorou a fazer. Tudo por um feriado sobre o qual metade da população não sabe a que se refere.

Aula de Condução (recebido por e-mail)

A não perder, aqui.
Tiago Alves