quarta-feira, agosto 31

o microfone

Mário Soares leva umas bofetadas na Marinha Grande e a sua votação sobe (1986)
Jerónimo de Sousa perde a voz num debate televisivo e a sua votação sobe. (2005)

Falhou o microfone de Soares a meio do seu discurso. Mais alguém sem ser eu acha óbvio que isto foi premeditado?
Tiago Alves

"a poesia não necessita de sentido" II

Na nota, o fundador do PS reconhecia que o apoio de José Sócrates a uma sua candidatura mudava "as circunstâncias" e tinha "um peso inegável" na reflexão que estava a fazer, "por vir de quem vem e pelo que representa em si mesma".
Soares a 24 de Julho, via Público

Mário Soares anunciou hoje que vai candidatar-se pela terceira vez à Presidência da República (...) prometendo ser um candidato nacional e não um candidato do PS
Soares a 31 de Agosto (do mesmo ano!), via SIC

Tiago Alves

reviravolta

Hoje é dia 31 de Agosto. Amanhã, convenhamos, começa a nova época blogoesférica.
O Telescópio começou a fazer-se ouvir dia 14 de Junho. Já vai com cerca de 230 postas apimentadas com poucos mas atentos comentários. Algumas notáveis personalidades blogoesféricas conhecem este espacinho e, acredito, vêm cá de vez em quando fazer uma visita.
Não é segredo para ninguém que o nosso blog de referência sempre foi O Acidental, pelo que a nossa espinha dorsal é semelhante ao mesmo embora, obviamente, tente sempre inovar e ser original, tanto quanto é possível nesta blogoesfera. Por piada, inventei, qual Fernando Pessoa, estes três heterónimos que se vêm (viam) ali à direita. O Francisco, o Ricardo e o João não passam disso mesmo: heterónimos. Tres personalidades distintas às quais entendi dar o sopro da vida, e que podem considerar-se três facezinhas da minha personalidade político-ideológica-humorística.
Pensei em arranjar discussões entre eles, debates interessantes, tenho aqui mesmo um papel com todos eles onde está a sua história, idade, curso, ideias etc. e durante estes três primeiros meses fui-me divertindo a criar esta "história".
Fui-me apercebendo, porém, que não são assim tão diferentes. Concordam muito, e não trouxeram aquele dinamismo que eu pretendia para o blog, até porque são só quatro e, obviamente, nunca estão todos ao mesmo tempo no computador. Além disso, percebi que se conseguem fazer blogs interessantíssimos e unipessoais, como o Jaquinzinhos, o Semiramis, o Funcionamento
ou o MissPearls, embora o meu grande objectivo seja mesmo criar uma rede de telescópios, arregimentar umas quantas mentes e levá-las para o campo de batalha. As inscrições estão abertas.
Para terminar, vou tirar ali do template os nomes deles e vou passar a assinar sempre com o mesmo nome, que por acaso é o meu. Muito obrigado a todos, especialmente ao PPM, ao António e ao Adolfo e ao António Ferra, com quem me correspondi nestes tempos.

Tiago Alves

o Sr. Paulo II

Depois de toda aquela introdução aproveito também para dizer que o pelouro urbanístico também não é desconhecido para mim. Mesmo numa cidade "pequena" como o Barreiro, que durante muitos anos esteve vedada à construção pelos Executivos comunistas, a pressão é enorme, e vemos nascer prédios em sítios inimagináveis, com alturas "esquesitas", tendo em conta as maquetes que existiam há uns anos; não vemos nascer as infra estruturas prometidas e deparamo-nos constantemente com mais um prédio onde era suposto haver espaço verde ou uma moradia. Consta que até se retiram terrenos a urbanizações já construídas e mudam-se-lhes o nome, para poder construir para cima, ao invés de potenciar espaços verdes. Até bombas de gasolina junto a reservatórios de gás já aqui se vê, num local a menos de 50m de habitações novas, novinhas!
Por isto tudo, e não me alongando naquilo que não sei, dou ao sr. Paulo Morais todo o apoio que posso dar. Eu, não tão intensamente como os Blasfemos, também vivi o Outubro de 2000 com uma adrenalina imensa, e fui daqueles que sempre disse que o dr. Rio ia dar uma sova naquele malandro do Gomes. Parece que o Sr. Paulo teve um papel importante nisso, e continuou a tê-lo durante o mandato, até assumir aquela maldita pasta que, ao que parece, não é destinada aos homens honestos. Não quero porém ir ao radicalismo de de culpar o dr. Rio. Penso que ele também terá menos poder do que se pensa, e do que ele próprio pensa. Seja como for, dia 9 vou estar a torcer por ele; assim como torcerei, todos os dias, pelo Sr. Paulo, para que a sua missão não seja perdida.

Tiago Alves

o Sr Paulo

O Sr. Paulo Morais saiu satisfeito do DCIAP, o que é muito bom. Não sou a pessoa mais informada sobre o assunto, mas li a catadupa de artigos que os nossos amigos nortenhos
Não sei se também vos acontece, mas temos sempre a ideia que os políticos são, de um modo geral, influenciáveis, quiçá a roçar o corrupto, tudo numa lógica normal de recompensa por quem, em última análise, os colocou no cargo [aparelhos partidários ou outros publicaram sobre o assunto.
lobbies]. Porém, quando temos a honra de conhecer algum político, ou alguém que o conheça ou dele seja próximo, e falo de políticos de uma bitola considerável (e não meros candidatos a assembleias de freguesia, como eu) fica-nos sempre a sensação que "eles não, aqueles que nós conhecemos fazem parte daquele pequeno oásis, são pessoas honestas; podem não chegar lá acima mas onde chegam tentam fazer o melhor por nós e até denunciam quem não anda lá a servir o povo".
No último Noites à Direita, no Nicola, quis o destino que eu conhecesse o filho do sr. Paulo Morais, e que com ele mantivesse uma agradável conversa sobre o liberalismo, a Direita, o dr. Pires de Lima (por quem nutrimos uma grande admiração), as faculdades, os diferentes cursos que frequentamos (matemática vs gestão), os nossos blogs de referência (Blasfémias vs Acidental) etc.
Quando o Gonçalo me disse que era filho de um vereador do Porto apanhou-me de surpresa. Não contava estar ali a falar com tal pessoa que, sendo normal como tantas outras, tem a "anormalidade" de ser da família de um vereador da segunda maior cidade do País, ainda para mais pelo PSD. Alguém que, sendo interessado como ele parecia ser, teria certamente várias conversas ao jantar no pico do interesse político.
Logo fiquei, como referi acima, com aquela impressão de que, se o Gonçalo era tão simples, com tão boas ideias, a alguém as deveria: obviamente ao pai. E então, não lhe tendo perguntado o nome do pai (pareceu-me abusivo), fixei o apelido e vim procurar pela net. O nome Morais conduziu-me ao Sr. Paulo que, além de simples vereador, era o nº 2 do dr. Rio. Cresceu ai uma certa admiração, e só tenho pena de ter perdido o endereço de e-mail do Gonçalo e dele não contribuir para os nossos desvaneios blogoesféricos nos últimos tempos através do seu blog, o Choque Frontal. A propósito Gonçalo, vê lá se me mandas um mail com o teu endereço!
(continua)

Tiago Alves

Insurja-se

Vital Moreira escreve no Causa Nossa que apoia Soares (está nas entrelinhas), assim como outras personalidades importantes da arte, da cultura, literatura. Cavaco, pelos vistos, só terá o apoio de empresários e gestores.

O insurgente Miguel já lhe deu na cabeça. Com o devido respeito, quando o país cai num buraco a última coisa que precisamos é de um Presidente de museus, viagens e jantares. Precisamos de alguém qu se mova e que, não interferindo mais do que deve, ajude a dar um rumo a este barquito.

Sim, Aníbal.
Francisco Sousa

Soares e a democracia

O velho leão apresenta hoje a sua candidatura pessoal, livre, suprapartidária, normal num cidadão maior de 35 anos. Começo a ser a favor daquela regra dos Conclaves, que quase deixava Ratzinger de fora.
Quantos anos tem Soares?
Tiago Alves

O barco da morte


Eu acho que centenas de jovens (que andaram, sob a influência maligna do senhore Louçã, a pedir que o barco aportasse em Portugal) devem um pedido de desculpas ao dr. Paulo Portas e um obrigado por lhes ter salvo a vida.
Francisco Sousa

duas palavras para a América

boa sorte
Francisco Sousa

terça-feira, agosto 30

"a poesia não necessita de sentido"

"Sou contra a candidatura de Soares porque sou republicano"
"Decerto existem muitas pessoas que não se revêem em nenhuma destas candidaturas"
"É mau para a democracia, é mau para o regime"
"Desagradou-me profundamente a maneira como foi conduzida a questão presidencial pelo PS"

Manuel Alegre não se candidata.

Francisco Sousa

uma notícia normal

4/5 dos professores não foi colocado

Não, não é preciso deixar o mercado funcionar!
Não, continuem a licenciar estudantes cuja única saída profissional é o ensino.
Não, não mandem um murro na mesa e digam que eles não fazem falta.
Não, não tirem poder aos sindicatos e não mostrem que eles só vendem ilusões aos docentes.
Não façam nada disso e continuem a dar subsídios de desemprego ao desvairio.
Ricardo Antunes

Prós e muitos contras

Depois do baixinho, vi pela primeira vez em muitos dias o Prós e Contras, dedicado aos Incêndios. Vi só a primeira parte, mas deu para rir um pouco e ficar elucidado. O professor Jorge Paiva exaltou-se com muita regularidade mas, se virmos bem, ele até tem razão. Para quem conhece este país a pé deve ser muito mais difícil ver o estado em que ele está.
A conversa tinha, obviamente, de passar pelo estado nacional e pela mentalidade do "deixa andar", mas pelo meio ainda houve alguns pontos importantes como a extinção dos Serviços Florestais que, segundo o professor, foi o maior erro de todos; ou a fantástica rábula da Arrábida: "Anunciaram na rádio que este ano (n.d.r. 2003) não haveria militares na serra. Ardeu logo!" Elucidativo, sem dúvida.
Também gostei daquela do petróleo verde que arde, do professor-arquitecto-historiador-comediante cujo nome não me recordo; e ainda qualquer coisa do género "não sou contra os eucaliptos". Também houve lá uma engraçada do ex-ministro do sr. Barroso, algo do género "Parece haver uma competição nos quartéis para ver quem apaga o fogo mais rápido...uma corrida a não sei quê..." A moderadora ainda tentou puxar mais mas logo se calou, pois devem ter-lhe dito lá no auricular para ter calma, que o senhor já estava a afalar demais... Enfim, foi engraçado. Cá fora nada de novo; tudo negro.

Ricardo Antunes

a notícia da semana


Karagounis no Benfica!
Ninguém pára o Benfica allez oh!! Até damos avanço!!

Ricardo Antunes

O baixinho

As Notas Soltas de António Vitorino são daqueles programas que me tiram do sério.
Primeiro, foi uma resposta baixa para fazer frente ao prof. Marcelo, o tal que tinha todo o direito de dizer mal do Governo anterior mas que agora não pode estar sozinho, sem o contraditório. Pensaram logo em pôr o "grande" Vitorino, pois é o único que goza de um estatuto junto da opinião pública minimamente equiparado ao prof. Marcelo, e a RTP, independente como é, logo aceitou. O programa de Marcelo é dirigido por aquela senhora que eu, muito sinceramente, não conheço nem sei o nome. Embora Marcelo seja sem dúvida capaz de se galvanizar, o facto de a sua interlocutora não ser alguém como José Alberto Carvalho contribui decisivamente para desvirtuar o debate. É o que eu acho!
Além disso, o prof. Marcelo não deve contas a ninguém, e ataca quem acha que deve atacar, louvando quem acha que deve louvar. Assim o era (e se era) na TVI e assim o é na RTP. Ora com o dr. Vitorino não é bem assim. Ele é dirigente do Partido. Ou seja, o seu espaço de análise pode-se equiparar com um tempo de antena. Não é muito ético, assim como não é as enormes barbáries do dr. Jorge Coelho no DN ou na Quadratura do Círculo.
Estes dois bombeiros, reconhecidos pelo público e com uma hábil retórica, conseguem utilizar o espaço que lhes dão para campanha eleitoral! Coisa que os comentadores de Direita, mesmo em maior número (JPP, Sousa Tavares, Marcelo) não fazem, quer seja pela sua inata rebeldia quer por serem independentes de espírito, não dirigentes, e por isso serem capazes de nos brindarem com análises perspicazes e imparciais, coisa que os dois senhores atrás referidos não conseguem nem, pura e simplesmente, podem.

Ricardo Antunes

Férias?

É por estas e por outras que o País não avança!
Então há café às 21.30 mas não há Telescópio? Ganhem juízo!
Este blog está oficialmente activo!

Ricardo Antunes

sexta-feira, agosto 19

Não oficial, mas novidade

E porque as férias são a melhor altura para arrumar a casa, nada melhor que uma novidade para a nova época blogoesférica que se avizinha.
Graças a uma frutuosa parceria entre dois telescópios e após alguns minutos de trabalho, conseguimos colocar um contador de visitas n' O Telescópio. Está aqui à direita (0nde mais?) e pertence à sitemeter.
A partir de agora as estatísticas também passam por aqui.

Francisco Sousa
JMF

quarta-feira, agosto 17

Não oficial, mas necessário

Ler, no Semiramis, um excelente comentário da Joana (perdoa a aparente intimidade) sobre o incidente do catamarã em Albufeira.
Francisco Sousa
PS: Já agora, leiam também o post a seguir, onde se continua o raciocínio, já com a normal pimenta dos comentários dos iluminados do costume..

terça-feira, agosto 16

Assim, sem mais

Este blog está oficialmente de férias.
Qualquer posta de hoje em diante, até Setembro, será considerada não oficial.
Tiago Alves

a notícia da semana

O PPM voltou de férias!
Tiago Alves

Telescopiando - a esquerda e Soares

Hoje o DN reserva uma página para citar nomes de esquerda, nomeadamente dirigentes políticos e fazedores de opinião, críticos da candidatura do velho Leão:

Helena Roseta, do sector alegrista, diz-se perplexa. Até Carrilho, nas boas graças e com a aura de Sebastião, tentou a sua sorte distanciando-se do papá (sim, foi de propósito).
Indo mais longe, ainda encontramos referências a Vicente Jorge Silva, espantado com o "defeito grave de carácter" do ex-Presidente e da sua propensão "para se considerar o centro do mundo". Filipe Santos Costa aproveita ainda para extrair das páginas do Expresso e do Público palavras menos amenas de Clara Ferreira Alves e Inês Pedrosa e de Prado Coelho, respectivamente. Nestas crónicas é enaltecido o comportamente de Alegre que, segundo os cronistas, nunca faria isto ao amigo Soares, se soubesse que ele era (ou pensava ser) candidato a candidato. Prado Ceolho questiona-se mesmo sobre esta boa ideia, denunciando a sua falsidade, criticando o "regresso ao passado". Até Pedro Abrunhosa, que traçou a sua ascensão à custa da derrocada cavaquista, chama a este avanço um "atestado de incapacidade à esquerda", enquanto Vasco Pulido Valente (não de esquerda mas apoiante ferveroso de Soares em 85/86) chega mesmo a acusar Soares de ir "dividir o país e criar um clima de tensão e azedume", prevendo mesmo que uma vitória do velho Leão venha dar força a "essa grande coligação do imobilismo [partidos de esquerda, sindicatos e corporações várias], [que não] tardaria a paralisar o Governo e o país"

Sim, Aníbal.
JMF

domingo, agosto 14

Já cá mora


Não é, na minha opinião, o avançado que o Benfica precisa. Marca um quinto ou menos dos golos que deveria marcar. Não é um matador, não remata bem, não é um homem de área e está mais vezes no chão do que a visar a baliza. Passa mais de metade da época em baixo de forma. E mês sim mês não apanha ume lesão que o manda para a bancada durante umas semanas.
Mas ontem, foi o melhor da equipa, e teve a exibição coroada com um bom golo, pleno de oportunidade, à ponta, que valeu o primeiro troféu da época. Parabéns Nuno.
Ninguém pára o Benfica, ninguém pára o Benfica allez ohh!!

Tiago Alves

sábado, agosto 13

sim senhor

Eu voto a favor! Quando for ao café vou comprar Português em vez de Marlboro. Mata na mesma!
Francisco Sousa

mude de atitude II

E então se entrássemos para o grupo SONAE? É uma verdadeira aventura! Além de ser responsável pela maioria dos nossos hiper fóruns, tem um imponente portfólio de sub-holdings, que faz da SONAE o maior grupo nacional. Modelo-Continente, Optimus, Modalfa, Worten, Clix, Novis, sem esquecer a actividade principal e originária do grupo, relacionada com os derivados da madeira.

E pronto, já me estou a esticar com as fotos e o blogger não está a gostar. Deixei de fora muitas outras mas um saltinho a portugaltradebrands.com pode dar mais informações sobre as nossas marcas, assim como algumas breves descrições. Por último, reafirmo que não concordo com proteccionismos nem enviesamentos no mercado, mas acho que o mesmo só funciona com informação. Aqui fica o contributo.

Tiago Alves

mude de atitude

No seguimento da posta anterior, um pouco de cultura para as nossas mentes consumistas:

A Compal, como toda a gente sabe, é portuguesa, liderada por esse grande senhor que é o dr. Pires de Lima. Sabia que a Frize,
a água que Deus quize, pertence à Compal? E os B's? E os Bongos? Também pertencem. São bons produtos, campeões de venda. Parecia-lhe bom demais para ser nacional? Pois como vê, as aparências iludem. E como estes há a Luso, a Serra da Estrela, a Vidago, a Castelo...


Está com
aquela sede? Há umas coisinhas muito boas nos cafés cujo nome não deve ser estranho. E se a Sagres todos sabemos a quem pertence, será que a Super Bock e a Sumol, assim como a Sucol, sempre estiveram na sua cabeça como marcas nacionais?

E passando para a moda, já ouviu falar da Fly London? Talvez não, mas decerto já viu alguns pares de ténis deles por aí. E digo alguns porque a Fly London exporta 92% da sua produção. Revolucionários e arrojados, na vanguarda no conforto, já venceu vários prémios. Bom demais?


Tiago Alves

movimento 560


Embora criado e comentado por essa blogoesfera fora já há uns dias, só hoje arranjei um tempinho para fazer um post como deve ser, encorajado pela reportagem da SIC e por ter conversado um pouco mais com os promotores da ideia (sim, são meus amigos!).
Depois de ter lido por ai algumas ideias e críticas nas caixas de comentários e de me desiludir com a fraca argumentação do Blasfémias, descubro ainda que a (boa) ideia já anda a ser aproveitada por alguns blogs próximos do PNR, o que só contribui negativamente para a sua causa.
Convém explicar que a ideia não parte de qualquer sentimento nacionalista ou patriótico. É óbvio que os promotores gostam de Portugal, de muitos produtos portugueses, acham que não somos piores que os outros e não andam aí a desejar ter nascido nos states ou em qualquer país escandinavo (os tais que servem de modelo a Sócrates).
Quanto ao nome do movimento, o simbolismo do 560 advém, como está muito bem explicado no site, do facto de a esmagadora maioria dos produtos cujo código de barras começa por estes dígitos pertence a uma marca portuguesa ou, no mínimo, é fabricado em Portugal, embora pertença a uma marca estrangeira. O blasfemo AAA arranjou a bela história dos baldes e dos códigos de proprietário (que podem induzir em erro, pois podem não começar por 560 e serem fabricados em Portugal, caso a empresa não adira a codipor) para ajudar na sua argumentação, esquecendo-se que, como diz o site, "costumam" ter um formato diferente, pelo que o melhor será sempre procurar algo que diga, claramente, o local de fabrico do produto.
Fazendo um apanhado geral, não acho que o movimento se assemelhe a uma espécie de proteccionismo, não tendo como objectivo criar uma espécie de dever moral nos cidadãos, de modo a estes se sentirem constrangidos por escolherem um produto não nacional. O mercado deverá continuar a funcionar livremente, com as pessoas a terem a total liberdade de optar por um produto nacional ou não, tendo em conta as variáveis normais: preço, rendimento, sucedâneos/complementares e as preferências. Este movimento e este pessoal pretende apenas ajudar o mercado a funcionar, dando-lhe mais um pouco mais de informação - o seu alimento, como diria o prof. Neves Adelino nas suas aulas de Finanças.
É que muito boa gente não tem um conhecimento muito alargado sobre as marcas nacionais, continuando muitas vezes com o velho estigma de que o que é português é mau e caro. Pode até ser que se tenha vindo a tornar assim em muitas situações, fruto da má produtivdade e da fraca apetência para a inovação e risco dos nossos empresários mas, no geral, existem marcas nacionais de grande qualidade e reconhecimento internacional. O Movimento 560 é mais uma voz que o incita a descobrir o tecido empresarial português e os bons produtos que ele nos coloca à disposição. Nós ajudamos!

Tiago Alves

apostas n'O Telescópio

Voto no Horta e Costa para próximo a cair.
Francisco Sousa

o plano Controlus

Basílio Horta era o embaixador de Portugal na OCDE. Freitas do Amaral chega ao Governo e não mexe no cargo, pois entende que o seu amigo está bem colocado lá. Com o passar do tempo, entra em vigor o Plano Controlus, nome de código Jobs for the Boys, onde Sócrates e o aparelho partidário socialista se propõe a ocupar de forma massiça todos os cargos importantes no aparelho estatal, nem que para isso seja preciso despedir gente cujo trabalho está a ser meritório ou pagar altas indemnizações.
Chegou a vez de Basílio cair para dar lugar a um peso pesado - Ferro Rodrigues, caído em desgraça depois da sua passagem pela presidência do PS, isto para não falar de um certo processo judicial no qual está envolvido, junto com outras figuras de renome do PS, e sobre o qual, estranhamente, há muito não se ouve falar.
Como desta vez mexeram com os amigos do prof. Freitas, o mesmo ressalvou no plano uma alínea que permite criar um cargo especial para o seu amigo, um espécie de "conselho coordenador da diplomacia económica", um cargo ainda por criar, que fará a articulação entre as embaixadas, o ICEP e a Agência Portuguesa para o Investimento (API)

Tiago Alves

sacos de várias cores

Fátima Felgueiras é suspeita de um crime de corrupção - o chamado saco azul, igual a tantos outros. Soube antecipadamente que iria ser detida para averiguações e que poderia ficar em prisão preventiva, como tantos outros. Fugiu, e por aqui poderia ficar a sua originalidade. Mas não.
Foram ontem entregues as listas e as assinaturas para a sua candidatura à CM de Felgueiras, o que dá-nos uma nova noção de notabilidade. Uma cidadã acusada, com um mandado de captura em seu nome, é candidata a uma Câmara Municipal. Tem muitos apoiantes, como se tem visto, o que é normal. Fez muito pela cidade que até faz parte do seu nome, com saco azul ou de outra cor...quem quer saber? Felgueiras está muito melhor do que há uns anos e o povo sabe-o, e por isso apoia a sua presidente. Já há uns tempos se falou aqui dos méritos que estes autarcas têm.
Políticos ilustres que usam o seu posicionamento na esfera do Poder para desenvolver as suas terras, não sem muitas vezes recorrerem a acções menos dignas ou mesmo a sacos de várias cores. Lembro-me de João Jardim, do major Valentim, até mesmo de Isaltino e, claro, Fátima Felgueiras. As Autárquicas são a política real, é onde estão os melhores, aqueles que conhecem verdadeiramente os problemas da população, que não se sentam lá em cima e se escondem atrás de estudos; vão para a rua, vêm o que está mal e apressam-se a mudar para melhor. Claro está, não sem muitas vezes recorrerem a acções menos dignas ou a sacos de várias cores. Mas se assim não fosse, não conseguiriam desenvolver os seus pedaços de terra, nem granjear o amor dos munícipes, que se vai mostrar este ano em todo o seu esplendor quando Isaltino, Valentim e quem sabe Felgueiras ganharem as respectivas Câmaras contra os seus partidos.

Tiago Alves

sexta-feira, agosto 12

Guerra dos Mundos

Não pude deixar de rir quando vi o post acidental do Deus, assim como a sua "cópia" por parte do Francisco. No entanto, apesar desta vaga de fundo que, ao invés de apoiar o dr. Soares, insurge-se contra o regresso dda velha guarda, criticando os valores da nova geração por não se chegarem à frente, importa esclarecer que há alguns, como eu, que não desdenha de uma forma tão forte esta verdadeira guerra que poderá ser a eleição presidencial, apesar de todos os comentários e piadas.
Numa altura em que a nossa democracia pulula de crise em crise, com os últimos 3 governos a deixarem-nos um amargo na boca, não só pelas ilusões que criaram mas também pela forma como as destruíram. Pior que isso, qual bomba atómica, não se contentaram em estragar o seu tempo, contaminando também os anos seguintes, condicionando qualquer boa vontade de futuro. Por isso mesmo, e porque o tempo é de reflexão política e ideológica, o que de melhor para nos elucidar do que colocar frente a frente os dois expoentes máximos da ideologia não radical dos últimos tempos?
Dois pesos pesados que dispensam apresentações, capazes de mobilizar o maior barão e o mais basilar militante, de levar milhões às ruas e de fazer regressar a guerra ideológica, mais do que a pessoa ou o momento; mais do que situações avulsas, fazer os portugueses pensarem em termos basilares, em termos de princípios. Redescobri-los. Pensar um pouco nessa coisa estúpida que é a política, situarmo-nos dentro da quadratura do círculo, pois mais do que ideologias políticas estão convicções e modos de vida, planos de sociedade e visões de funcionamento e coabitação.
Por isso mesmo, contra a constante ascensão e queda de tantas promessas, talvez o combate entre estas pessoas que são exemplo para tantos possa fazer levantar todos os militantes e não militantes, aparelherar os partidos e todas as outras associações, recriar o Poder. Poder esse que, como em infelizes tempos, parece andar por ai à solta.

JMF

o poder será recriado


no arioplano, via Acidental
Francisco Sousa

a frase


"O Primeiro Ministro está aqui à vossa frente"
António Costa, na comissão Parlamentar, quando questionado sobre a ausência de Sócrates

Ricardo Antunes

a propósito

A minha última posta sobre os incêndios fez a caixa de comentários mexer-se de indignação. Como pode ser possível pôr em causa a nobreza dos soldados da Paz, que evitam todos os anos que a tragédia seja muito maior?
Aqui está a resposta, na sic online:



"Um bombeiro profissional francês foi detido depois de ter confessado a autoria de sete incêndios no sul do país"


JMF

Here we go again

Ricardo Antunes

quinta-feira, agosto 11

my wonder moon


Depois do PEC, os incêndios

Mesmo sem Campos e Cunha e fora das Finanças as nossas contas continuam a dar buraco. Então não é que nos esquecemos de contabilizar umas dezenas de milhar de hectares ardidos?
Ricardo Antunes

a factura do telemóvel de Sócrates

Na reunião da comissão parlamentar, há pouco passada na SIC, o sr. Costa, Ministro da Administração Interna diz, questionado por Nuno Melo, que o engenheiro que governa o país já lhe ligou mais de duas vezes a perguntar se devia voltar e que ele, por mais de duas vezes, lhe disse que não.
Ricardo Antunes

piadas de café

Sporting 0 - Udinese 1

- Não jogam nada, não marcam golos! Raios partam, sempre a mesma coisa!
- Oh chefe, não fique assim, tome lá uma pastilha de tutti fruti para animar.
Ricardo Antunes

Invasão

Estão em todo o lado. Voltaram mesmo!
E se António Vitorino, o opinion de serviço, e Jorge Coelho, o berrante, já andam por estas andanças há muito (n.d.r. nas Notas Soltas, no DE; no DN, n'A Quadratura do Círculo), é agora Mário Lino que se lança nesta enorme moda que são os artigos de opinião, aparecendo hoje no DE.
Já houve ai um menino, na caixa de comentários do Blasfémias, que perguntou se "a direita não gostava". O principal argumento da esquerda é que os opinion makers mais conceituados e ouvidos são de Direita, como Marcelo, JPP ou Sousa Tavares. Talvez, mas nenhum destes anda activamente a fazer campanha pelo seu partido, não é candidato a nada nem ocupa nenhum alto ou baixo cargo no aparelho partidário do PSD (no caso destes).
Pelo contrário, os três senhores têm altas responsabilidades no grupinho que hoje "vela" pelos interesses do país. E o senhor Mário Lino anda ai a fazer umas coisinhas que não devia. Os media sempre foram mais compreensivos com os governos de esquerda, mas daí até entrarem nesta torrente... É que ver o nome de Jorge Coelho ou Mário Lino ao lado de senhores como Rui Ramos, João César das Neves ou mesmo (mesmo) Vicente Jorge Silva custa um bocado.
JMF

quarta-feira, agosto 10

Rui de bronze

Habituei-me a adorar as corridas do Rui Silva nos 1500m.
Aquela melindrosa táctica de ir na cauda e depois passar por eles todos sempre me pareceu fantástica, ao alcance apenas daqueles que têm e acreditam nas suas capacidades.
Acho que já ganhou umas medalhas assim. Lembro-me dos Europeus, de Atenas, e agora nos Mundiais foi de bronze. E se não fosse o americano armar-se em esperto, não sei não!

Tiago Alves

subsídios ?

É certo que vai causar celeuma, e que talvez houvesse melhores sítios para cortar, mas qualquer subsídio que acabe é sempre motivo para abrir uma garrafa de champagne aqui n' O Telescópio.
JMF

a foto


O Discovery a chegar
Tiago Alves

na net?

Sexo é a palavra mais procurada pelos portugueses na net
Vá lá, não me diga que não sabia!
Ricardo Antunes

don't stop digging!

O grande provérbio só se começa de cima para baixo a cavar buracos ganha novos contornos no Brasil.
Foram só o equivalente a 50 milhões. Já dava para o Tomasson.
Ricardo Antunes

Telescopiando

Nuno Sampaio, no DE, fala sobre os Salvadores da Pátria e o espartilho da Sociedade Civil
JMF

a frase, segundo O Público

"Para desgastar o PSD já basta o que o seu próprio líder está a fazer, não vou ser eu a piorar ainda mais a situação"
JMF

depois da tempestade, só outra

Se F.A.L (n.d.r. o jornalista que falou com Carrilho e falou na sua polémica frase sobre Soares) escreve isto, é caso para perguntar que alarvidades dirão os nossos políticos em off. Depois de Freitas, o Sarilho..

Carrilho disse o que pensa e em nenhum momento da nossa conversa avisou que estaríamos a falar em off. Nem eu o citaria em on, como fiz na edição de ontem, se tivesse pressuposto o contrário.
Tiago Alves

eu, que acordei agora

Já dei uma volta pelos jornais, pelos blogs de referência, e até encontrei mais um colega interessante
Tiago Alves

post scriptum

Quem ler a posta anterior pensará que falo bem mas ando a postar às 9.30 da madrugada. Também vos respondo. Cheguei há coisa de 40 minutos, ainda só tomei banho. Vou comer qualquer coisa para me deitar.
Francisco Sousa

all night long II

Na peça referida um dj afirma que "[se] sente mais o público e isso reflecte-se na duração da própria noite". Tem a sua razão, claramente. Fala-se ainda do efeito bola de neve: os restaurantes fecham tarde, os bares fecham mais tarde do que deviam e as discotecas fecham tardíssimo.
Não vejo, pessoalmente, qualquer problema nesta espécie de mentalidade lusitana, nem acho que os puritanos possam tirar daqui as normais ilações sobre a moral nacional e a juventude perdida dos nossos dias. Se em férias se dorme até às tantas, porque é que não se ha-de viver a noite até "ao nascer do sol"? E já agora, se normalmente as primeiras aulas começam às oito, faria sentido fechar às 4.30h? Era uma maneira de fomentar a ausência das salas. Fechando às sete e tal, oito dá azo a verdadeiras "directas", com a voz do professor a chegar imediatamente depois das batidas do house. Há quem diga que não mas digo eu, que já experimentei, que se aguenta muito melhor, pelo menos até à hora de almoço. Depois é que convém ir dormir..
O problema que aceito existir é realmente esta falta de respeito à lei, tanto dos proprietários dos estabelecimentos como do público. Será assim tão complicado respeitar um horário? Se ele existe, e embora se possa não concordar inteiramente com ele, decerto haverá razões. Acredito, como todos devíamos fazer, que as leis, mesmo incorrectas, são para cumprir; e se são mesmo incorrectas, decerto mudarão no curto-médio prazo. É por isso que não participio nos work-shops do Bloco..
Vemo-nos na noite.

Francisco Sousa

terça-feira, agosto 9

de novo a PriSOE

A não perder mais uma revelação sobre os contornos da Prisa, empresa espanhola que pretende adquirir a Media Capital, após ter sido derrotada na aquisição da Lusomundo. A sua ligação ao PSOE, os socialistas espanhóis, já há muito são conhecidas, mas a GLdQL traz mais lenha para a fogueira.
Ricardo Antunes

Já agora

No seguimento do post do João, consta que a Hermione está linda de morrer no baile. Não sou daqueles que acha que o Harry deva ficar com ela; nem o Ron, ela não merece, coitada. Deveria ir ter com o Krum, parece-me um rapaz às direitas (nada de polítiquisses, va..).
Quanto a Harry, não há volta a dar. Sou contra romances declarados nesta saga, e o herói anda melhor sozinho, tendo os inseparáveis amigos para o ajudar nas suas peripécias; acho que a relação com a Cho tem sido, até ao momento (Ordem de Fénix), muito bem gerida e descrita. Não passa desta semana. Vou comprar o Half Blood Prince e treinar o english.

Tiago Alves

at home

Num post rápido, uma nota de congratulação a todos os que tornaram possível o regresso seguro da equipa Discovery a casa.
Tiago Alves

Harry Potter e o Cálice de Fogo - o filme

Numa das minhas derivas pelo google encontrei este site, bastante completo, onde o 4º filme, com estreia marcada para Novembro, aparece muito bem documentado e criticado, à partida por quem sabe do que fala. Esta foto, tirada de uma das cenas mais prometedoras, tem sido um dos alvos predilectos, pelo erro nas lápides.

Não sei se dará para ver bem mas, e ainda de acordo com o site, não só o nome "Marvolo" aparece errado na tumba (já que o nome vem da família da mãe de Voldemort, não de seu pai), todas as datas da tumba estão erradas também. Além do ano da morte dos Riddle estar errado (já que pelo livro sabemos que foi após 1944), sabemos que Voldemort nasceu em 31 de Dezembro de 1926, fazendo com que, de acordo com a foto do filme, o pai de Voldemort tenha tido seu filho com apenas 11 anos de idade.

Podem-se também encontrar, cá mais para baixo, descrições pormenorizadas e bastante interessantes sobre algumas personagens e cenas do filme. Consta que Voldemort está à altura, num filme que se assemelha mais ao terceiro que aos dois primeiros, decorrendo numa atmosfera muito mais sombria e sinistra, anunciadora dos grandes desafios que (sabemos) se avizinham.

JMF

mais uns..

Depois da vergonha que foi a cerimónia de condecorações do 10 de Junho (devidamente comentada aqui), eis que o nosso PR, numa tentativa de arranjar mais amigos ou de fazer esquecer quaisquer maus momentos, decide condecorar membros dos U2 com a Ordem da Liberdade.
Realmente, depois da Maria de Belém, já espero tudo!
Ricardo Antunes

o bombeiro emocionado

Nesta posta do Blasfémias, elucidativa dos nossos noticiários recentes, é esquecido, entre as outras personagens, o bombeiro emocionado que ainda não dormiu de ontem para hoje, que arriscou a vida para salvar tudo e a quem faltam meios para fazer mais. Já disso dei conta ao João Miranda.
É certo que são os verdadeiros soldados da paz e também é certo que muitos, senão a maioria, dão realmente a vida para salvar as nossas excessivas e sujas matas e as habitações (ilegalmente, em muitos casos) construídas no meio das mesmas.
Também é certo porém que sem incêndios os bombeiros não tinham trabalho no Verão; é que apagar fogos, tal como tantas outras coisas, é um vício. O fogo provoca diversas reacções no ser humano e a prova disso é a diferenciação entre incendiários e pirómanos, estes últimos "desculpados" por o seu acto aparecer disfarçado de "doença" - a paixão, atracção pelo fogo.
Há um filme muito bom, Backdraft, que explorava esta temática.
E desde que ouvi num dia, num café, um bombeiro receber uma chamada onde lhe perguntavam se "queria ir matar o vício", informando-o de um incêndio, já acredito em tudo.

JMF

segunda-feira, agosto 8

all night long

via Portugal Diário

Para amanhã um belo comentário ao assunto. Agora vou para a night.
Francisco Sousa

Cor e alegria

O Francisco anda a levar muito a sério a velha máxima de que uma imagem vale mais que mil palavras
Ricardo Antunes

Entretanto, por lá


Cai o Senado Japonês, por decisão do senhor na foto, devido à recusa dos deputados em privatizar os Correios...
Francisco Sousa

Entretanto, por cá (recebido por e-mail)


Francisco Sousa

Cinco minutos é longe demais

As imagens do Columbia ainda martelam a mente de muitos e chega-nos a notícia de que o Discovery tem problemas. Não sei como se sentiram os astronautas lá em cima, mas eu aqui em baixo fiquei a temer por eles e pela própria demanda humana. Não sei se a NASA, com os actuais moldes, sobreviverá a dois desastres consecutivos, com perdas humanas, causadas pelo mesmo problema - a espuma isoladora.
É óbvio que nada disto ainda aconteceu, e já se marcaram pontos com a inédita reparação em pleno espaço. A palavra inédita poderia soar a vitória, mas nos tempos que correm soa a falso. A única maneira de salvar a nave foi com uma reparação inédita, cujo sucesso se avaliará pela inexistência de acidente. É de cortar a respiração.
Por estas horas já deveriam cá estar, mas o mau tempo atrasou a descida à Terra. Amanhã, por estas horas, já se saberá do sucesso da missão, depois de minutos de tensão máxima, quando a nave entrar na atmosfera terrestre. Amanhã, por estas horas, saberemos se Beggs ainda é o administrador da NASA.
JMF

Ganhe como eu

sábado, agosto 6

Entretanto, por cá


1941 - December the 7th














Pois, mas e isto? Os familiares americanos das vítimas do 11 de Setembro que hoje vão até ao Japão dizer que pedem desculpa seriam talvez os primeiros a dar o braço direito para vingar os compatriotas mortos em 1941, em Pearl Harbor, quando os EUA não estavam em guerra com ninguém. Quem vai à guerra dá e leva, e o Japão foi acordar o monstro. O monstro não perdoou.
Francisco Sousa

Meu Deus, que fizemos nós?

É sempre um caminho tortuoso tentar avaliar a bondade da decisão de Truman. O que é certo é que se estava em guerra. Uma guerra que já durava há seis anos e cujo fim, embora próximo, podia custar mais de 200 mil vidas americanas pois, apesar do inimigo nazi estar em queda, o do Pacífico mantinha-se com um certo vigor.
Abandonado pelos derrotados aliados, ao Japão foi dada a oportunidade de rendição. A mesma não chegou até aos fatídicos dias e as bombas foram mesmo lançadas, pese todos os receios e hesitações. A frase Meu Deus, que fizemos nós?, lendariamente atribuída aos pilotos do Enola Gay, tornou-se o eco das teorias do crime contra a Humanidade, tendo em conta o grau de destruição atingido, assim como os efeitos de longo prazo, que ainda hoje se fazem sentir, devido às radiações, e que devastam gerações inteiras.
No DN de hoje é dado, como é óbvio, um grande destaque, realçando-se um parágrafo que fala numa decisão para acabar com a guerra antes que a União Soviética pudesse participar na invasão do Japão, o que teria provocado problemas geopolíticos na Ásia do pós-guerra. Não deixa de ser plausível, pois já naqueles tempos se temia o poderio que a URSS poderia almejar no futuro próximo, já de si basilado com a libertação da Europa de Leste.

Talvez nunca se saiba qual foi a verdadeira decisão, nem quantas vidas se perderiam numa invasão; Sabe-se, porém, que nunca se saberá quantos japoneses morreram, directa ou indirectamente. Sabe-se também que hoje, 60 anos depois, não cresce uma planta no Ground Zero.
Tiago Alves

Faz hoje 60 anos


quinta-feira, agosto 4

por falar em José Veiga II

Qualquer dia, Francisco, vou convidar toda a boa gente dessa blogoesfera para ser telescópio.
Um dia, hoje não. Por agora, que continue um blog "de família";
puro prazer, como diria o Ricardo.

Tiago Alves

Portugal a arder II

E depois temos isto!
Até o nome de António Mexia já ai anda na berlinda. E é possível que o BES e a PT estejam envolvidos? Não se ouvem vozes indignadas? São dois dos maiores nomes empresariais nacionais, e a PT é dominada pelo Estado. Não há uma voz do poder central?

Tiago Alves

Portugal a arder

Três dezenas de incêndios; alguns de fogo posto, mas continuo a pensar que a maioria não são. Fogo posto arde com 27º, com 30º, com 35º. Mas os acidentes só se dão quando cai a barreira dos 35º. Foi o que aconteceu nos últimos dias, e os fogos multiplicaram-se.

Centenas de bombeiros; com as suas viaturas, tentam chegar a todo o lado, mesmo aos locais inacessíveis. As bermas da A1 são acessíveis...e nas imagens não se viu nenhum carro. Além disso, só se vêem mangueiras. Onde andam os tractores e os corta fogos? Onde andam as forças armadas do PR? E porque é que nas imagens se vêem sempre as mangueiras apontadas para cima, se é na base que se apagam os fogos? E porque é que se ataca sempre contra o vento? Não deveria ser a favor? Atrás das chamas? Onde anda a estratégia?

Mar de chamas.
Tiago Alves

por falar em José Veiga

Parece que o Miguel vai mesmo sair do Benfica. O Valência afigura-se como destino.
Não deixa de ser um alívio, apesar da vergonha que é, ano após ano (lembram-se do Tiago?), o Benfica deixar sair uma das jóias da coroa ao preço da uva mijona, armadilhado pelas jogadas dos empresários e pelos (justos) caprichos de notoriedade e euros dos jovens craques. O mal é esquecerem-se de quem apostou neles, quando andavam pelos Bragas e Amadoras, a ganhar uns míseros milhares de euros por mês, e os lançou na ribalta.

Francisco Sousa

Já agora

Um aviso ai para o José Veiga (há muito não o vejo por aqui) da blogoesfera (sim, porque o Abramovic é o outro).
E que tal convidar o JCD para telescópio?

Francisco Sousa

Para que não nos esqueçamos de lembrar II

Quanto aos blogs a conversa já é outra; e o fim do Jaquinzinhos deixa-nos um amargo de boca. Aqui fica a resposta de JCD à quase centena de bloggers que reagiram com tristeza ao anúncio.

"Muito obrigado a todos pelos comentários simpáticos que aqui foram deixando.

O jaquinzinhos acaba-se porque tudo tem o seu tempo e senti que este está a esgotar-se. Quando o blogue é mantido mais por obrigação do que por prazer, começa a não valer a pena.
Outros tempos virão, depois de umas prolongadas férias blogosféricas.

Abraços para os meninos e beijinhos para as meninas"

Tem razão o nosso Jaquim. A razão primária de um blog deve ser o prazer; as leituras, os comentários, as picardias e etc são importantes, mas secundárias e sem sentido quando o prazer se esgota. Até sempre.
Ricardo Antunes

Para que não nos esqueçamos de lembrar

Não nos passou ao lado o fecho d'O Comércio do Porto e d'A Capital. Apenas ganhámos uma certa antipatia por aqueles que, durante anos (1995-2001), combateram e desvirtuaram o mercado, subsidiando (enquanto houve dinheiro para isso) empresas que não criavam valor, funcionando apenas porque não se queria o sr. Carvalho da Silva a fazer barulho. Agora temos uma visão um pouco turva, generalizada e quem sabe injusta sobre empresas que fecham: se fossem boas empresas, não fechavam.
Ricardo Antunes

Descubra as diferenças

Carmona impõe lista à Distrital do PSD

Num partido em que o tudo-ou-nada parece ser assegurar a CML, Marques Mendes deu "carta branca" ao independente, o ás de trunfo, que se afigura como o melhor no "afastamento dos fantasmas" e no "conhecimento da cidade", ao ter feito parte do Executivo, chegando mesmo a assumir a presidência da cidade. Os efeitos já se fizeram sentir, com o aparelho partidário a reagir mal ao afastamento de alguns boys. Carmona está com força, deram-lhe ainda mais força e, se ganhar, o mérito é totalmente dele, com o PSD de consiciência tranquila de dever cumprido. O mito impõe-se, falta ganhar a Câmara.

Rio apresenta lista sem Paulo Morais

Pelo contrário, Rui Rio não é nenhum salvador da pátria, e embora goze de um respeito invejável, passando nestes quatro anos de um ilustre desconhecido para o "homem que tirou o Porto ao Gomes e ao Pinto da Costa", ainda tem algum dever de lealdade para com o partido, nomeadamente o núcleo nortenho, bem mais forte que o da capital. Assim, apresenta-se sem o seu número dois, aquele que, segundo muitos, foi o verdadeiro reflexo da política de ruptura com os interesses que levou a coligação de direita ao poder em 2001. Pressões internas, fala-se. Cai o mito, vamos lá a ver a Câmara.
JMF

quarta-feira, agosto 3

Ouvida de passagem

Rodapé do Bom Dia Portugal:

"A Turquia jamais aceitará o reconhecimento da República do Chipre como condição essencial para a integração na UE"
Ricardo Antunes

Seis letras - O T A - T G V

Parece que a gota de água foi a recusa da administração da CGD em financiar certos projectos públicos. Nada é por acaso, é bem verdade, e quando as explicações se baseiam em certos acontecimentos, tal como o cansaço, é sempre de desconfiar.
Ricardo Antunes

terça-feira, agosto 2

um post à primária

Cavaco e Soares à saída de Belém:

- Ah ah! O presidente recebeu-me primeiro!
- Ah ah! Mas teve vergonha de dizer!

Francisco Sousa

As tabuletas

Ouvi agora no jornal da sic que vai ser obrigatória a afixação de tabuletas com o preço dos combustíveis na próxima estação e na outra a seguir, de modo a fomentar a real concorrência e a livre escolha. Já estou mesmo a ver:

- Olha! Aqui é um 1 euro e 20. É barato, Manel!
- Ah! Nã sejas parva! Olha bem, lá a frente é só 1 euro e 19!

Nova tabuleta..

-Oh Manel! Olha que a próxima é 1 euro e 18!

Antes da próxima tabuleta..

- Oh Manel! Porque é que paraste?

Francisco Sousa

Mercado do defeso

Vítor Martins abandona a CGD, por questões de imagem. Por questões de imagem partidária entra Armando Vara, camarada partidário, conhecido pelos incitamentos à desobediência civil.

Ainda na fase do boato, prontamente desmentido, parece que Miguel Coutinho e Raul Vaz vão deixar a direcção do DN num futuro próximo (n.d.r. quando se consumar a venda à Controlinveste).

Robinho vai para o Real Madrid. Enfim uma transferência minimamente normal.

Francisco Sousa

segunda-feira, agosto 1

Telescopiando - os gafanhotos

João César das Neves, em mais uma brilhante crónica no matutino da casa.
Ricardo Antunes

Telescopiando

Sarsfield Cabral fala de energia nuclear no DN.
Nada que não tivesse sido já aqui defendido.

Francisco Sousa

as auras

Anda-se por ai a dizer que Cavaco pode ser um perigo. Parece que o Pedro Picoito do MI já lhes deu na cabeça.
Quanto a nós, alertamos para o verdadeiro perigo que é ver regressar Mário Soares ao poder, qual Salazar agarrado à cadeira. Também ando um pouco inquieto com esta aura de D. Sebastião que se colocou a Cavaco e sempre defendi uma maior abertura do tabu presidencial, de modo a proporcionar uma saudável discussão e debate públicos.
Só que agora também se pode colocar a aura em Soares. E temos dois Sebastiões a confrontarem-se naquela que promete ser a mais dura guerra desde 1986. Também é irónico que um dos beligerantes seja repetente, e que tenha sido o PM que governou Portugal com o maior apoio de sempre (83-85, Bloco Central), não conseguindo, mesmo com a aura, colocar-nos no rumo certo, seguido aqui ao lado, na Espanha, e lá em cima, na Irlanda. Auras há muitas!

Francisco Sousa